Mauricio pede mudança de atitude do Governo do RS para salvar economia

PTB Notícias 17/02/2016, 8:24


O deputado estadual Mauricio Dziedricki, vice-líder partidário do PTB na Assembleia Legislativa, defendeu em Plenário a necessidade do Rio Grande do Sul tomar atitudes fortes visando evitar a necrose que atinge o Estado como resultado da alta tributação e de disputas internas.

O parlamentar apontou dados fornecidos pelo Jornal do Comércio que “nos entristecem” e mostram recordes negativos no ano passado, fruto de politicas negativas dos governos federal e estadual, resultando na extinção de 64.

991empresas, o maior número desde 2003.

Maurício usou a tribuna lamentando os novos números que mostram sermos “credores de uma nova economia que, se não bastasse a crise mundial, é o resultado de uma política restritiva de crédito e de pouca valorização do empreendedorismo por parte do Estado como Nação”.

Citou dados do impostômetro, que ele acompanha mensalmente: em 2015, 151 dias foram dedicados ao pagamento de impostos por todos os brasileiros.

“Em 2016, para minha surpresa a perspectiva de gasto com impostos chega perto de 170 dias.

É quase meio ano que o brasileiro trabalha para pagar impostos”, disse lamentando “a falta de retorno para saúde, educação, rodovias e segurança.

O impostômetro nacional, da Presidente Dilma, em 2016 já arrecadou R$ 286 bilhões e 984 milhões.

Essa cifra roda a cada segundo e é assustadora.

Governador Sartori, o impostômetro gaúcho, sendo que o gaúcho revela gastos de R$ 14 bilhões e 88 milhões”.

Mauricio citou o aumento significativo de ICMS em itens como energia elétrica e telecomunicações e afirmou: “Precisamos repensar a forma do Estado se comportar com sua base produtiva.

Temos que dedicarmos como simpósios, seminários e encontros discussões e eventos visando melhorar a economia.

Só a política de um time contra o outro não serve para nada.

Temos que parar com isso para encontrar saídas para um Estado que não pode mais colocar a mão no bolso de cada gaúcho.

Chega de Impostos! e do fechamento do Estado de empresa”, concluiu.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria da bancada do PTB na Assembleia Legislativa do Rio Grande do SulFoto: Marcelo Bertani/Assessoria