Mauro Carlesse preside sessão sobre inclusão social de surdos no Tocantins

PTB Notícias 24/04/2015, 9:18


Histórias de surdos que superam o preconceito e de profissionais que abraçaram a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como missão estiveram em foco na quinta-feira (23/4/2015), durante sessão solene na Assembleia legislativa do Tocantins que celebrou os 13 anos da Lei de Libras e homenageou a Associação dos Surdos de Palmas (ASP).

A sessão foi presidida pelo deputado Mauro Carlesse (PTB), 2º vice-presidente da Casa.

Os homenageados do dia foram João Mendes Filho, professor de Libras da Secretaria de Educação (Seduc); Roselba Miranda, professora de Libras da Universidade Federal do Tocantins (UFT); Charlie Christias, presidente da Associação dos Mudos de Gurupi; e Paulo César Ferreira Guimarães, primeiro aluno surdo do Instituto Técnico Federal (IFTO).

Aline Albuquerque, tradutora e intérprete de Libras e coordenadora de educação inclusiva e diversidade do IFTO, usou a tribuna para pedir mais políticas de inclusão dos surdos na rede de educação.

Para ela, o ensino da linguagem deve ser inserido nas séries iniciais da rede escolar.

“É preciso ensinar Libras para os pequenininhos.

Para que eles cresçam aprendendo a dialogar com os colegas surdos e a escola se torne um lugar igualdade.

A escola bilíngue é o nosso sonho.

Hoje nós valorizamos muito o inglês nas nossas unidades escolares e acabamos esquecendo da Libras, que é uma língua do Brasil”, ponderou.

Charlie Christias encorajou os associados de Gurupi e avaliou a importância da homenagem.

“Fiquei feliz com a homenagem.

Mostra que a Casa de Leis está preocupada com nossa causa.

Isso serve para mostrar para os surdos que não devemos desistir.

Vamos lutar, alcançar nossos lugares na sociedade para que percebam como é importante o dialogo conosco”, traduziu Aline.

O deputado Mauro Carlesse se colocou à disposição da causa e comentou a situação de desigualdade enfrentada pelo surdo.

“Por tanto tempo, a educação, o acesso ao mercado de trabalho e a convivência social foi negada a esses cidadãos.

Que esta ocasião seja o incentivo para o engajamento na luta por um Tocantins inclusivo.

Um Tocantins de todos.

Surdos, cegos, deficientes físicos ou não; somos todos tocantinenses, merecemos o suporte das políticas públicas para atender nossas necessidades”, disse.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal Atitude TOFoto: Divulgação/Assessoria