Milton Serafim reúne lideranças para debater convênio com Santa Casa

PTB Notícias 19/04/2013, 9:39


O prefeito de Vinhedo (SP), Milton Serafim (PTB), tem realizado reuniões com lideranças representativas de diversos segmentos da sociedade para esclarecer a real situação da Santa Casa de Vinhedo.

Encontros foram feitos com comissão de funcionários e de médicos da Santa Casa, representante do sindicato dos funcionários da área da saúde, representantes religiosos e associações, esclarecendo que o hospital não é administrado pela Prefeitura, ou seja, não tem responsabilidade sobre a dívida que o hospital acumulou nas últimas décadas.

“Nossa proposta é dialogar sobre as condições reais da Santa Casa e explicar à população que a Santa Casa não é um hospital municipal e por isso não é administrado pela Prefeitura.

Hoje, a Prefeitura compra serviços do hospital.

Há meses, a Santa Casa não vem realizando com qualidade serviços pagos pela municipalidade, além de atrasar os pagamentos dos funcionários e médicos, incluindo mais de 300 protestos, prejudicando o atendimento à população.

Como prefeito de Vinhedo, não posso pagar por serviços públicos que não estão atendendo às necessidades da população vinhedense.

O dinheiro repassado à Santa Casa, oriundo dos impostos pagos pelos vinhedenses, devem ser aplicados nos serviços públicos de saúde, e não serem utilizados para pagar a dívida da Santa Casa, que estima-se entre 80 e 100 milhões de reais, devido a processos trabalhistas e de fornecedores, dívida esta que não é de responsabilidade da Prefeitura e sim do próprio hospital.

O papel da Prefeitura é garantir atendimento básico de saúde e isso está sendo feito e o objetivo desses encontros é esclarecer exatamente esta situação”, explicou o prefeito Milton Serafim.

A Santa Casa tem convênio com a Prefeitura para a prestação de serviços hospitalares e ambulatorial.

Mensalmente, a Prefeitura repassa ao hospital R$ 1.

200.

000,00 para que estes serviços sejam oferecidos à população.

“No entanto, o histórico financeiro da Santa Casa demonstra que a irmandade Santa Casa está falida e, portanto, tem sérias dificuldades em manter os serviços que a Prefeitura necessita para atender a população com qualidade.

Se a Santa Casa utiliza o valor repassado por mês pela Prefeitura para abatimento desta dívida, é absolutamente impossível continuar prestando os serviços que a nossa população necessita.

Se a Santa Casa não está apresentando condições adequadas de nos atender, compraremos o mesmo serviço em outros hospitais da região.

O que a população precisa entender é que ela não ficará desamparada de atendimento, ao contrário, o povo terá condições de receber atendimento de qualidade comprado pela Prefeitura em outro local, compatível com a necessidade do nosso povo”, explicou o prefeito Milton Serafim.

UPA: Responsabilidade Emergencial Com a inauguração da UPA – Unidade de Pronto Atendimento – no final do ano passado, todos os casos de urgência e emergência do município passou a ser de responsabilidade da administração municipal.

A Unidade funciona 24 horas.

Só a título de comparação, os investimentos necessários para a manutenção da UPA giram em torno de R$ 500 mil mensais e, nem por isso, a Prefeitura reduziu o repasse de R$ 1,2 milhões à Santa Casa, depois que o hospital deixou de realizar os atendimentos de emergência e urgência do SUS – Sistema Único de Saúde.

“Mesmo a Santa Casa deixando de atender os casos de urgência e emergência na cidade propomos ao hospital uma nova parceria que previa o envio de recursos financeiros de acordo com a execução de um contrato de metas, que seria definido em razão da pontuação obtida em avaliação dos serviços prestados.

Porém, a proposta não foi aceita pela Santa Casa.

Diante desta situação, seria irresponsabilidade da Prefeitura manter o convênio com o hospital para compra de serviços.

Portanto, em breve, após a suspensão deste convênio, estaremos adquirindo os serviços púbicos de Saúde, até então contratados na Santa Casa, em hospitais próximos, com qualidade, rapidez e otimização dos gastos.

A população de Vinhedo pode ficar tranquila: não haverá suspensão dos atendimentos, pelo contrário, todas as necessidades encaminhadas via Unidades Básicas de Saúde e Unidade de Pronto Atendimento – UPA 24 horas, serão atendidas e com qualidade, garantindo ao povo de Vinhedo o respeito que merece, sem quaisquer prejuízos, mas sim com ganhos efetivos no atendimento público de saúde, meta especial desta administração”, explicou o prefeito Milton Serafim.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal da Prefeitura de Vinhedo (SP)