Minha eleição foi construída com diálogo e confiança, diz Valter Araújo

PTB Notícias 8/02/2011, 9:09


O deputado Valter Araújo (PTB), presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, foi o entrevistado desta segunda-feira (07/02), do programa A Voz do Povo, da rádio Cultura FM.

Araújo disse que a sua eleição para presidir a Assembleia “foi construída com base no diálogo, na confiança e no bom relacionamento com todas as correntes do Legislativo”.

O presidente creditou a Deus a sua dupla vitória: como deputado estadual mais votado e eleito presidente da Casa.

“O segredo é Deus, que é quem tem cuidado e mim e me sustentado e me dado graças nessa caminhada.

E também às famílias de Rondônia, que entendeu a nossa mensagem, comungou de nosso ideal e nos conduziu como o mais votado”, disse.

Ele disse que na Assembleia teve o reconhecimento dos deputados pelo seu trabalho.

“Dos deputados reeleitos, só não recebi o voto dos deputados Jesualdo Pires e Edson Martins – que não votou em mim por força de imposição partidária.

Ou seja, conquistei o respeito dos parlamentares reeleitos e também dos novos, a exemplos dos deputados que foram vereadores comigo em Porto Velho”, completou.

Valter Araújo rechaçou a lenda de “mala-preta” na eleição da Mesa Diretora.

“Não existe mala-preta.

São fantasias, estórias pra tentar conturbar o processo.

O que existe é muita conversa e entendimentos, com relação às comissões, espaços e definições das responsabilidades na condução da Casa.

Foi desfeito o mito da mala-preta.

O que existe é compromisso de continuar as boas ações e promover as novas ações que julgamos necessária”, informou.

Sobre a briga entre o PT e o presidente do PMDB, senador Valdir Raupp, o deputado foi incisivo: “É um processo de maturidade política.

Nas eleições e nos últimos quatro anos, tive muitas divergências com os petistas.

Mas, nessa decisão contou muito o meu posicionamento firme em defesa de minhas posições e pelo fato de ter votado no deputado Hermínio Coelho, quando candidato a presidente da Câmara.

Outro fato foi o Governo ter deixado os partidos aliados livres para compor a chapa que quisesses escolher”.

Segundo ele, “não existe traição.

Mesa Diretora e governabilidade são coisas diferentes.

Isso deveria ficar claro pros metidos a articuladores, que insistem em se meter, em interferir.

Falei ao senador Raupp que não seria submisso, mas parceiro ao governador.

Raupp fez o deputado Edson Martins passar pelo constrangimento de ter que sair de nossa chapa.

Ele seria o elo entre o Governo e Assembleia, mas foi impedido de fazer esse papel”.

Sobre as divergências com o prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho (PT), Araújo disse que a relação dos dois é de chefes de poder.

“Essa divergência começou quando eu era vereador, na eleição da Mesa da câmara, depois veio a questão do shopping e nova briga.

Hoje, precisamos trabalhar juntos e sermos maior que as divergências”, declarou.

Em relação à relação com os poderes, ele disse que será de forma respeitosa e harmônica.

“Mas, independente e isso não significar oposição.

Vamos discutir com profundidade os projetos que chegaram á Casa.

Estive com o governador Confúcio Moura e foi uma boa impressão.

Ele prega um Governo de paz e de harmonia, na busca de promover o melhor para Rondônia.

E vamos trabalhar juntos nesse sentido”, completou.

Sobre a forma como encontrou a Assembleia, Valter Araújo elogiou o trabalho desenvolvido pelo ex-presidente Nedoi Carlos (PSDC).

“A Assembleia está redonda, com uma administração responsável, financeira e de gestão.

A única pendência era em relação ao repasse de R$ 18 milhões do Executivo, sendo uma concessão de R$ 12 milhões e fizemos um acordo para o pagamento parelado, não prejudicando o andamento da Casa.

Neodi foi um grande presidente, com uma legislatura de paz e tranqüilidade e sem escândalos”, observou.

Valter anunciou que vai imprimir seu ritmo de trabalho.

“Serão alterações simples.

Não é nada do outro mundo.

Vamos fazer a Escola do Legislativo ser fortalecida, como grande instrumento, proporcionando a qualificação dos servidores da Casa.

A TV Assembleia estará no ar em 90 dias.

De início, chegará a 25 cidades do Estado, para que a população acompanhe a atividade parlamentar”, declarou.

O presidente disse ser um homem simples, determinado e obstinado.

“E com um diferencial: tenho Deus como companheiro, como meu guia.

Eu digo que tenho uma característica específica: sou pacificador e também “brigão”, quando necessário, mas aprendi que a conquista com o diálogo, se constrói para a vida toda”, acrescentou.

Valter negou que o senador Ivo Cassol tenha tido participação na eleição da Mesa da Assembléia.

“Minha relação com Cassol é de paz e de amizade.

Ele falou bem de mim onde passou, liberou minhas emendas, nos elegemos juntos no mesmo palanque.

Mas, em relação à Assembleia, ele nunca deu palpites e não vai fazer isso, porque ele tem a missão de ser senador de Rondônia.

Mas, se ele ou qualquer outro cidadão nos der um bom palpite, eu vou aceitar”, garantiu.

Sobre eleição da capital, Valter Araújo negou ser pré-candidato a prefeito de Porto Velho.

“Faço parte de um grupo político e não tem nada colocado ainda.

Tenho uma missão de atuar como presidente da Casa e vou dar ênfase nesse trabalho”, finalizou.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Portal Rondonotícias