Ministro José Múcio lamenta criação da CPI da Petrobras no Senado

PTB Notícias 17/05/2009, 11:21


O ministro das Relações Institucionais, José Múcio (PTB/PE), lamentou a manobra do PSDB para criação da CPI da Petrobras no Senado.

Segundo ele, o governo não entende os motivos do maior partido de oposição para abrir uma investigação contra a maior empresa brasileira durante o período de crise internacional.

“Nós não entendemos é a razão disso.

A Petrobras é a mais importante empresa brasileira e, pelo volume de empregos que estavam sendo gerados, os investimentos do pré-sal, o volume de investimentos em todos os pontos do país, nós não entendemos”, argumentou.

Múcio disse que o governo lamenta a criação da CPI, porque “de todo jeito ela cria alguns problemas”.

“Não entendemos porque o PSDB, num momento de dificuldade, de crise, está fazendo isso.

Mas estamos absolutamente tranqüilos”, afirmou.

Ele lamentou também a quebra do acordo firmado durante a reunião da Mesa Diretora do Senado para que o presidente da estatal, Sérgio Gabrielli, participasse de uma comissão geral no plenário para esclarecer as dúvidas dos senadores e, com isso, fosse evitada a criação da CPI.

“Houve um acordo ontem [quinta-feira], onde o presidente da Petrobras falaria numa comissão geral no plenário e responderia todas as questões e se não fosse suficiente para que as dúvidas fossem sanadas, então teria a CPI.

Esse acordo foi feito pela manhã com todos os partidos e de repente nós fomos surpreendidos com essa quebra de acordo”, salientou o ministro.

Segundo ele, o PSDB não estava na reunião, mas teve um representante no acordo firmado.

Múcio se reuniu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã da última sexta-feira e tratou do assunto, mas evitou comentar a reação de Lula sobre a CPI.

“O presidente não comentou.

Apenas nos reunimos porque ele vai ficar uns dias fora e eu precisava de algumas orientações”, salientou.

Fonte: G1