Mira Rocha cobra implantação do Centro de Nefrologia em Santana (AP)

PTB Notícias 20/03/2015, 14:15


Devido o grande número de pacientes que se deslocam dos municípios para fazerem tratamento de hemodiálise em Macapá, a deputada Mira Rocha (PTB) entrou com requerimento na Assembleia Legislativa do Amapá, solicitando do governo do Estado, por meio do secretário de Saúde, Pedro Rodrigues Gonçalves Leite, a aquisição de mobiliário e máquinas de diálise e equipamentos para a implantação do Centro de Nefrologia em Santana, a 18 quilômetros da capital.

“Muitos pacientes estão em estado de saúde debilitada e, assim, causando transtornos não só no deslocamento rodoviário mas também pelo tempo que se passa em uma máquina durante a hemodiálise.

Com o Centro Nefrológico no município, totalmente equipado e funcionando, é mais viável e cômodo para os pacientes que necessita dos serviços oferecidos pela rede estadual de Saúde”, justifica a parlamentar.

De acordo com a Associação de Renais Crônicos e Transplantados do Amapá, a secretaria disponibilizava um auxílio combustível para abastecer o veículo (van) utilizado no transporte dos pacientes.

“Antigamente, a secretaria dava o combustível para a van e hoje não está oferecendo mais esse combustível.

Então estamos tendo esse contratempo das vans.

Tem dia que [o veículo] vem e dia que não vem”, comenta o presidente da associação, Ivanildo Souza.

O problema com transporte afeta ainda mais quem mora em outros municípios.

Em Santana, por exemplo, são 50 pacientes atendidos na unidade.

Para eles é oferecido uma van com capacidade para 15 pessoas, mas que, muitas vezes, chega superlotada em Macapá.

“As vans cabem 15 pacientes sentados, mas está vindo mais de 20 [pessoas]”, diz o aposentado Miguel Pinheiro.

Ele acompanha a esposa no tratamento que ela faz há mais de um ano na unidade.

Eles moram em Santana e optam pelo transporte coletivo pela falta do serviço oferecido pela instituição de saúde.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Assembleia Legislativa do AmapáFoto: Gerson Barbosa/Alap