Mira Rocha quer explicação da secretária de Saúde sobre atrasos no TFD

PTB Notícias 15/08/2013, 6:34


Deputados estaduais do Amapá aprovaram em sessão plenária, nesta semana, a convocação da secretária de Estado da Saúde, Olinda Consuelo, para dar explicações sobre a atual situação de pacientes inseridos no programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

A data para a sabatina não foi definida.

A deputada Mira Rocha (PTB), autora do requerimento, justificou que o programa tem sido alvo de constantes reclamações.

“O que era para ser um benefício para a população, aos poucos torna-se um tormento”, reforçou.

Segundo a parlamentar, a demora no andamento de processos é a principal reclamação entre os pacientes.

Mais de 1 mil pessoas utilizam os serviços do TFD no estado.

“Está virando rotina.

Todos os dias chegam denúncias de pessoas que estão há mais de 90 dias em outros estados, porque a emissão de passagens é demorada; além da ajuda de custo que só é liberada por volta de 4 meses depois da entrada no processo.

Isso quando ocorre a liberação deste dinheiro”, acrescentou Mira, reforçando a importância do pedido de explicações à secretária de Saúde, sobre o funcionamento do TFD no Amapá.

“Porque pessoas estão passando fome nesses lugares com a falta de pagamento”, acentuou.

A petebista Mira Rocha disse que ouviu de alguns pacientes que tiveram que arcar com o tratamento com recursos próprios, “recursos estes que deveriam ser ressarcidos assim que os pacientes retornassem ao estado.

Porém, muitos estão sem receber desde o ano passado.

Em alguns casos, como forma de viabilizar o deslocamento, foram efetuados empréstimos em dinheiro para custear as despesas com a viagem”, informou.

Em junho passado, um grupo de usuários do TFD no Amapá reuniu-se em frente à Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), para pedir melhorias no atendimento do programa.

À época, o administrador Waldir Júnior, que acompanhava um amigo em tratamentos oftalmológicos em Recife, no Pernambuco, reclamou que para conseguir uma passagem, a consulta em outro estado deve estar marcada.

“Tem casos em que marcamos duas consultas, mas as passagens não foram liberadas pela secretaria.

Agora vou batalhar para conseguir marcar outra porque como é em outro estado, tenho que usar o telefone”, disse, à época.

Naquela ocasião, a Secretaria de Estado da Saúde informou, em nota, que os serviços de emissão de passagens e auxílio financeiro do TFD estavam sendo pagos regularmente.

Segundo a Sesa, mais de 1 mil pessoas utilizam os serviços do TFD no Amapá.

Quanto a emissão de passagens aéreas, a secretaria garantiu que não existia pendência com a empresa responsável pelo serviço.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal G1