Monteiro Neto diz que emprésários estão otimistas com medidas do governo

PTB Notícias 12/12/2008, 12:45


Empresários de vários setores que participaram nesta quinta-feira, 11 de dezembro, da reunião que durou cinco horas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministros da área econômica saíram otimistas com a perspectiva de adoção, pelo governo, de medidas urgentes para minimizar os efeitos da crise financeira.

“Foi um diálogo franco e cooperativo, no qual o governo manifestou muita disposição de atuar coordenadamente com o setor privado”, afirmou o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado federal Armando Monteiro Neto, do PTB de Pernambuco.

“Ficou claro que tanto setor privado quanto o público têm que priorizar uma agenda de investimentos para o país.

Este é o ponto mais importante no momento.

Do parte do governo isso envolve medidas de desoneração tributária.

Do lado das empresas, disposição de preservar programas de investimento.

“, disse o petebista.

Para Monteiro Neto, o clima de confiança na economia brasileira não pode deteriorar e, por isso, que discutiu-se a agenda de curto prazo, as dificuldades de crédito e os problemas de liquidez, particularmente das pequenas e médias empresas.

“Tudo foi avaliado sob a perspectiva da manutenção do emprego, que é o mais importante para o Brasil hoje.

Vamos garantir emprego se continuarmos investindo e tomarmos medidas de gerenciamento adequadas – da política monetária, do uso dos instrumentos tributários e de natureza fiscal e a definição do perfil do gasto público”O presidente da CNI afirmou que, para garantir o emprego, tudo deve ser examinado: a flexibilização no mercado de trabalho, a adoção do banco de horas e até a desoneração do fundo de garantia.

Entre as medidas que o setor privado vem sugerindo, e foram reiteradas na reunião, está a redução, ou mesmo a eliminação, do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) por um período de tempo.

“Por que encarecer o crédito que já está curto e caro? Essa é uma medida que se impõe”, afirmou Monteiro Neto, para quem é preciso ainda diminuir a carga tributária sobre alguns setores que estão no momento sofrendo com a redução de demanda.

Os empresários enfatizaram ainda a necessidade de alongamento do prazo para pagamento de tributos, “que vai melhorar imediatamente, a situação de pequenas e médias empresas”, a compensação de créditos tributários, e que o setor público desburocratize, ou simplifique, o pagamento para os agentes privados prestadores de serviços e fornecedores de bens para o Estado.

O presidente Lula, segundo Monteiro Neto, está sensível às ponderações dos empresários e manifestou a firme disposição de adotar todas as medidas necessárias para assegurar a sustentação do nível de atividade, além do investimento público, como o PAC e ações que dependem do governo.

Os empresários comentaram também sobre a taxa de juros.

“Falamos firmemente”, concluiu o presidente da CNI, “que está na hora de a política monetária dar outro sinal, o sinal de que se a demanda está caindo é hora de flexibilizá-la”.

fonte: Agência CNI