Moraes destaca aumento da punição para quem dirige sob álcool e drogas

PTB Notícias 15/06/2016, 9:18


O deputado Sérgio Moraes (PTB-RS) elogiou a aprovação, pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara, da proposta que aumenta a punição aplicada a motoristas que dirigirem sob o efeito de álcool ou outras drogas, conforme a gravidade do dano causado (lesão leve, lesão grave, morte).

Caso a conduta resulte em morte, por exemplo, a pena será de reclusão de 5 a 10 anos.

“Sempre digo que álcool e direção não combinam, pois o carro se transforma numa arma.

A bebida facilita o acidente.

Se você provoca um acidente, a sua vida vai virar o caos, sua família vai sofrer, sem falar na família da vítima.

Todos perdem, e por isso acho que a proposta é boa”, ressaltou.

CPISérgio Moraes também destacou que a Câmara deve instalar, nesta semana, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do DPVAT, que vai investigar como foi administrado o dinheiro arrecadado com o DPVAT entre 2000 e 2015.

A ideia é apurar denúncias da atuação de quadrilhas especializadas em fraudar acidentes que não ocorreram.

Em 2015, por exemplo, o DPVAT arrecadou mais de R$ 8 bilhões, mas se estima que 25% desse total tenham sido desviados.

O deputado acredita que a atuação da CPI vai impedir que pessoas que acabaram de sofrer acidentes caiam no golpe da indenização.

Gente que desconhece as regras é enganada pela promessa de atravessadores que cobram comissões ilegais para liberar o dinheiro do DPVAT.

“Hoje já tem propaganda e a mídia está informando às famílias que não precisa de intermediário para receber o seguro.

Basta ir aos Correios fazer o seu pedido e logo as coisas têm a velocidade natural e o dinheiro chega de forma integral para os acidentados”, afirmou.

Na opinião de Sérgio Moraes, a CPI deve, pelo menos, inibir quem está aplicando esse golpe.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos DeputadosFoto: Jotaric/Câmara dos Deputados