Mozarildo acredita que a medida prejudica os usuários de planos de saúde

PTB Notícias 26/01/2012, 12:46


A Agência Nacional de Saúde determinou que os planos de saúde deverão se responsabilizar pela cobertura do valor das próteses de silicone que serão usadas nas cirurgias de substituição das mulheres que tem implantes mamários das marcas PIP e Rofil.

Até a data da publicação da medida no diário oficial, no dia 24 de janeiro, os planos de saúde só eram obrigados a arcar com os custos do procedimento cirúrgico.

O senador Mozarildo Cavalcanti, do PTB de Roraima, acredita que a cobertura dos custos da troca dessas próteses deveria levar em conta a situação em que a cirurgia plástica foi feita, se por questões de saúde ou de estética.

Na opinião do senador, que é médico, os cidadãos que financiam o Sistema Único de Saúde por meio dos impostos e os usuários de planos de saúde não podem arcar com os custos dos procedimentos que foram feitos por razões estéticas.

Na opinião dele, as mulheres nesse caso devem buscar reparação na Justiça.

“Ver de quem é a responsabilidade pedir o que o Ministério Público atue essa questão porque é muito séria.

Uma mulher que fez um esforço pra pagar a clínica, cirurgião e comprar uma prótese que tinha risco, ela realmente tem que acionar a clínica, o cirurgião, a firma, mas não pode ficar na costa do contribuinte, quer dizer, quem paga o imposto e o plano de saúde ficar responsável por isso e pior se o governo, os planos saúde forem pagar, quem está pagando somos nós”, afirmou o parlamentar petebista.

A justificativa do Ministério da Saúde para obrigar os planos a cobrirem o valor das próteses substitutas foi de que todos os procedimentos ligados a troca dos implantes das marcas PIP e Rofil devem ser considerados como cirurgias reparadoras.

A Comissão de Assuntos Sociais já definiu que a questão das próteses contaminadas vai ser tema de uma das primeiras audiências públicas do ano, logo no mês de fevereiro.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Rádio Senado