Mozarildo Cavalcanti convida brasileiros a conhecer a Amazônia

PTB Notícias 5/06/2009, 12:53


Um convite para que os brasileiros conheçam a Amazônia e um apelo para que a floresta continue a ser brasileira e seja incluída entre as prioridades nacionais.

Assim o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) saudou em discurso no Plenário o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado nesta sexta-feira (05/6).

– A Amazônia não está e nunca esteve na agenda nacional; não tem um plano regional de desenvolvimento, observadas as suas diferenças regionais – afirmou o senador por Roraima.

Em seu pronunciamento, Mozarildo afirmou que é preciso fazer um debate técnico sobre “o que se deve fazer na Amazônia e o que não se pode fazer”, um debate inserido num contexto que tem como ” grande desafio” buscar uma maneira equilibrada e desapaixonada de entender que o meio ambiente – e nele está inserido a Amazônia – é o conjunto dos seres humanos e seres em geral, sejam vegetais ou animais.

– Devemos ter em mente que a primeira coisa que se tem que preocupar quando se fala de meio ambiente é o ser humano.

Nós não podemos viver uma espécie de ecoterrorismo contra a Amazônia – afirmou o parlamentar, referindo-se a jargões hoje populares, segundo explicou, como “grilagem na floresta”.

Segundo Mozarildo, as pessoas não se dão conta que, ao longo de 509 anos de existência do Brasil, apenas 17% da Amazôniaforam alterados; ou seja, ” 83% da floresta estão de pé”, observou.

Conforme observou, o importante, na Amazônia, é a biodiversidade que precisa ser explorada por brasileiros e não por estrangeiros que lá chegam e retiram matéria prima para patentear em seus respectivos países de origem, frisou o senador.

– Temos de ter ciência e tecnologia na Amazônia para produzir remédios e cosméticos com a nossa biodiversidade – alertou Mozarildo.

Em aparte, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) afirmou que a Amazônia tem que ser entendida como uma “questão nacional”.

Já Gilberto Goellner (DEM-MT) ressaltou que o Dia Mundial do Meio Ambiente é uma boa data para o início do debate sobre a elaboração de um novo código florestal.

fonte: Agência Senado