Mozarildo Cavalcanti defende lojas francas nas cidades de fronteiras

PTB Notícias 15/06/2012, 14:17


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) defendeu, nesta quinta-feira (14/6/2012), a aprovação do PLC 11/2012, que autoriza o funcionamento de lojas francas ou free shops nas cidades brasileiras localizadas nas fronteiras com outros países, para a venda de mercadoria nacional ou estrangeira com pagamento em reais ou outras moedas.

O projeto foi aprovado na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) e será examinado agora pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Mozarildo explicou que 28 cidades brasileiras, espalhadas por nove estados, serão beneficiadas com o projeto e pediu ao governo federal que examine a situação com cautela porque o Brasil perde muito dinheiro e recursos humanos para os outros países.

O senador apontou que no estado dele, Roraima, possui duas cidades consideradas gêmeas de cidades estrangeiras: Bonfim, fronteira com a Guiana, e Pacaraima, fronteira com a Venezuela.

Ele relatou que as pessoas compram de tudo nos outros países por ser mais barato e destacou que a aprovação do projeto melhoraria essa situação.

“Compram de tudo: do alimento ao material de higiene, eletroeletrônicos, tudo, porque tudo é infinitamente mais barato.

Então, nós estamos perdendo duplamente: perdendo mão de obra, que vai para o lado de lá; perdendo divisas, porque o brasileiro vai gastar lá”, explicou.

O senador petebista disse que o Ministério da Fazenda se manifestou contrário ao projeto com o argumento de que o país perderia impostos, mas ele acredita que a perda atual do Brasil é maior.

“Quero aqui fazer um pedido ao governo da presidente Dilma, que examinem isso com outra lente e não com essa lente pequena apenas do número que vai se recolher de impostos.

Muito mais do que isso é o que nós estamos perdendo hoje com o material humano, com o dinheiro que gastamos do lado de lá, com a falta de geração de empregos”, ressaltou.

Em aparte, os senadores Waldemir Moka (PMDB-MS), Ana Amélia (PP-RS) e Vanessa Grazziontin (PCdoB-AM) se manifestaram favoráveis ao projeto.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Agência SenadoFoto: Waldemir Barreto/Agência Senado