Mozarildo Cavalcanti defende Tribunal de Contas da União e critica Lula

PTB Notícias 14/10/2009, 8:12


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) subiu à tribuna nesta terça-feira (13/10) para dizer que está preocupado com as afirmações do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, de que o Tribunal de Contas da União (TCU) está “fiscalizando demais” e, assim, atrapalhando as obras do governo.

Segundo Mozarildo, o TCU está apenas cumprindo seu papel de fiscalizador dos recursos públicos e, se não faz mais, é porque não dispõe de recursos suficientes para isso.

– Se as obras apresentam irregularidades, se estão superfaturadas, é preciso parar mesmo.

E a visão do Tribunal de Contas da União é a de ser uma instituição de excelência no controle e contribuir para o aperfeiçoamento da administração pública – afirmou.

Na opinião do senador, é preciso alertar a população, para que o TCU não venha a se desgastar perante a sociedade, devido às reiteradas afirmações de Lula de que o órgão está atrapalhando as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

– Temos que fazer uma “vacina”, porque estão evidentes os sintomas de que querem fazer com que o Tribunal de Contas seja visto pela população como órgão político que atrapalha a execução das obras do ilustre presidente Lula, do PAC da ministra Dilma Rousseff.

Isso é muito ruim.

E o presidente não tem receio de afirmar essas coisas – criticou Mozarildo, para quem Lula dá mostras de que pretende governar como ditador, pois “não quer Congresso, não quer Judiciário, não quer Tribunal de Contas e, possivelmente, não quer imprensa livre também”.

O senador elogiou ainda a iniciativa do TCU de, pela primeira vez, fazer uma investigação “na questão da liberação das emendas parlamentares”.

Lembrou também o senador que o TCU deu um prazo para que o próprio Lula consiga um alvará para a obra que está realizando no Palácio do Planalto.

– É o Palácio do presidente Lula e ele realmente não tinha esse alvará.

Não tinha placa com o valor da obra, não tinha a fonte de recursos, não tinha o prazo, como exigem todas as obras – denunciou Mozarildo.