Mozarildo Cavalcanti relembra história de Roraima e comemora avanços

PTB Notícias 12/06/2013, 16:29


Em pronunciamento no plenário, na terça-feira (11/6/2013), o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) relembrou a criação do território federal de Roraima, em 1943, na época território federal do Rio Branco, por decreto do então presidente Getúlio Vargas, que o desmembrou do estado do Amazonas.

Roraima foi elevado à categoria de estado em 1988.

“Graças a essa visão de Getúlio Vargas, nós deixamos de ser, digamos assim, um rincão esquecido do estado do Amazonas para nos transformar numa unidade da Federação.

No dia 20, se fosse ainda território, iria completar 70 anos o nosso estado de Roraima.

Como Amapá e Rondônia, Roraima foi território por 45 anos”, disse.

O parlamentar lembrou que a população do território não elegia prefeito, governador ou senador, apenas um número pequeno de deputados federais – inicialmente um, depois dois e depois quatro, “a metade do que estabeleceu a Constituição como mínimo por cada estado”.

Mozarildo ainda relatou a experiência do próprio pai, que foi para Roraima em 1943, antes da criação do território, como funcionário público federal do Serviço Especial da Saúde Pública e de seus avós maternos que foram da Paraíba para lá, na década de 1930.

O senador homenageou tanto os que nasceram em Rondônia como os que foram para lá e os que estão indo em busca de melhores condições de trabalho.

Ao analisar os últimos 25 anos, Mozarildo avaliou que, apesar “das injustiças cometidas com os funcionários do ex-território federal de Roraima”, houve avanços como a instalação da Universidade Federal de Roraima, por lei de sua autoria, com a criação do curso de Medicina.

O parlamentar disse que houve uma reação das entidades médicas junto ao Conselho Nacional de Saúde contra a criação do curso.

“Achavam que Roraima não tinha condição de ter um curso de Medicina, e hoje o curso é uma realidade e muito bem avaliado pelo Ministério da Educação”, afirmou.

Agência Trabalhista de Notícias (NM), com informações da Agência SenadoFoto: Lia de Paula/Agência Senado