Mozarildo critica governador de Roraima e aponta problemas de sua gestão

PTB Notícias 6/04/2014, 19:14


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) voltou a criticar, em discurso na última sexta-feira (04/04/2014), o governador de Roraima, Anchieta Júnior (PSDB), que está deixando o cargo para se candidatar ao Senado.

Segundo o parlamentar, há graves problemas de gestão, e Roraima é hoje um estado deficitário, que gasta mais do que arrecada e com deficiências em setores importantes como saúde, educação e segurança.

Diante do quadro, o parlamentar informou que já enviou pedidos de providências ao Tribunal de Contas da União, ao Ministério Público e a outros órgãos de fiscalização e controle.

— As revistas Época e Veja já publicaram, inclusive, a foto aérea da mansão construída por ele nesse período que está no governo, tendo saído da condição de empresário falido para governador multimilionário.

Então, é lógico que não foi com os recursos inerentes ao cargo de governador que ele fez isso — atacou Mozarildo, que na semana passada, já havia defendido a cassação de Anchieta pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por corrupção.

Mozarildo mostrou-se revoltado com o fato de a Assembleia Legislativa local ter aprovado o fornecimento de mais quatro seguranças particulares para Anchieta Júnior.

— A lei estadual já previa que os ex-governadores teriam direito a dois seguranças após a passagem pelo governo; agora ele terá direito a seis, num estado onde existe apenas um policial para cada 300 habitantes e faltam viaturas e até gasolina —reclamou.

O senador explicou que faz questão de denunciar as “maracutaias e a corrupção” do governador que deixa o cargo para que não se diga depois que ninguém levantou a voz para denunciar.

– Quero deixar minha consciência tranquila que fiz a minha parte.

Cabe a justiça e ao povo de Roraima fazerem o mesmo – acrescentou Mozarildo Cavalcanti.

Reformas Em aparte, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) lembrou que nenhum homem público honesto fica rico apenas com a carreira política.

Ele também destacou o fato de o Brasil ganhar a partir de hoje 15 novos governadores, que assumem o posto com a desincompatibilização de seus antecessores para disputa de outros cargos.

—Temos hoje 15 novos governadores, muitos dos quais nem sabemos o nome.

É um terremoto político — afirmou, antes de pedir uma mudança na legislação a fim de impedir que o chefe do Executivo se desincompatibilize para disputar outros cargos no Legislativo.

Mozarildo Cavalcanti concordou e defendeu a realização de reformas:— Espero que na próxima legislatura as reformas política e eleitoral possam se concretizar.

Isso devia ser compromisso de todos que forem eleitos em outubro — disse o senador.

fonte: Agência Senado