Mozarildo critica política indigenista brasileira comandada pela Funai

PTB Notícias 11/06/2013, 17:00


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) criticou em plenário, na segunda-feira (10/6/2013), a atual política indigenista brasileira, comandada pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

De acordo com ele, a Funai tem se preocupado quase que exclusivamente com a demarcação de terras para a população indígena, mas se esquecido de outros aspectos fundamentais como, por exemplo, a capacitação dos índios para a produção agrícola.

“A política indigenista no Brasil tem se resumido a questão fundiária, servido sobretudo para a demarcação de terras.

Não há assistência nenhuma aos índios no que tange à saúde, educação e a produção.

Não há um trabalho visando a melhoria das condições de vida dos índios, de modo a dar sustentabilidade às comunidades”, disse.

Em sua opinião, a demarcações de reservas que foram feitas recentemente além de não resolver o problema dos índios, também prejudicou milhares de pequenos proprietários, que, desapropriados sem receber indenização, acabaram indo ocupar favelas nas periferias das grandes cidades, como ocorreu em Boa Vista, por exemplo, após a demarcação da Reserva Raposa Serra do Sol.

O senador reclamou ainda da predominância dos pontos de vista do Executivo nas decisões sobre processos de demarcação de reservas indígenas.

Ele lamenta que o Congresso Nacional e representantes de pequenos proprietários não sejam ouvidos, ficando as decisões sobre demarcações predominantemente sob a responsabilidade da Funai.

Mozarildo Cavalcanti salientou que a área já demarcada de reservas indígenas no Brasil, correspondente a 14% do território nacional, poderia já ser suficiente para abrigar toda população indígena, que representa somente 0,4% da população do país.

Agência Trabalhista de Notícias (NM), com informações da Agência SenadoFoto: Moreira Mariz