Mozarildo denuncia corrupção e concorda com tributo para os muito ricos

PTB Notícias 13/09/2011, 14:06


O senador Mozarildo Cavalcanti, do PTB de Roraima, voltou a denunciar nesta segunda-feira (12/09/2011), no Plenário, a “roubalheira” em obras de rodovias, conforme auditoria feita por ordem da presidente Dilma Rousseff pela Controladoria Geral da União (CGU) em oito obras e dois projetos.

Segundo ele, a auditoria apontou em Roraima a rodovia BR-174, que liga Boa Vista a Manaus e à Venezuela,”Foi instalado em Roraima, há poucos dias, o Fórum de Combate à Corrupção.

Um fórum que realmente me leva a ter ânimo de que o meu estado vai deixar de ser um antro de rapinagem, um antro de corrupção comandado pelo atual governador”, disse o parlamentar.

O petebista disse que, desde 2007, quando o atual governador assumiu o cargo, já foram repassados para o estado de Roraima cerca de R$ 570 milhões para obras de rodovias.

Segundo o senador, os desvios de recursos públicos ocorreram em todas as obras.

Diante do quadro de corrupção instalado em seu estado e no restante do país, Mozarildo disse que é contrário à recriação da CPMF, pois, em seu entendimento, não há falta de recursos para a saúde, mas sim “falta de vergonha e de fiscalização”.

Ele assinalou que outra auditoria feita pela CGU descobriu que nos últimos quatro anos foram “roubados” R$ 500 milhões da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

“Não há dúvida que a saúde precisa de mais dinheiro.

Mas, só se pode pensar em colocar mais dinheiro na saúde na hora que nós tivermos certeza de que não haverá mais roubo no setor”, frisou Mozarildo.

ApartesO senador Cristovam Buarque, do PDT do Distrito Federal, lembrou, em aparte, que foi favorável à CPMF, tanto no governo Fernando Henrique Cardoso quanto no governo Lula.

Ele propôs analisar como melhorar a saúde antes de recriar um imposto.

O senador assinalou que não está vendo ninguém explicar o que é preciso fazer para melhorar a saúde e quanto isto vai custar.

“Não dá para votar aqui a CPMF só porque veio uma ordem direta do governo e nem acho justo votar contra só por que vem do governo”, disse Buarque.

A senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB do Amazonas, disse que este seria um bom momento para debater a situação tributária e fazer uma reforma.

Ela afirmou que os parlamentares têm o dever de regulamentar o tributo sobre grandes fortunas.

Mozarildo e Cristovam concordaram com essa tributação.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Agência SenadoFoto: Waldemir Barreto/Agência Senado