Mozarildo diz que burocracia impede atendimento a pleitos de Roraima

PTB Notícias 22/06/2007, 9:36


“O fato de eu ter me abstido de votar hoje, da mesma forma que me absterei de votar na semana que vem, não significa que estou rompendo ou brigando com o governo”.

O aviso foi dado pelo senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR).

Ele explicou que essa foi apenas uma forma de responder de forma igual “à burocracia que está forçando o presidente Lula a se abster de resolver problemas de Roraima”.

A abstenção do senador foi durante a votação do projeto de conversão que reestruturou cargos e instituiu gratificações na Previdência Social.

Mozarildo explicou que, no último dia 29 de março, em reunião no Palácio do Planalto da qual participou junto com o governador de Roraima, Ottomar Pinto, com o senador Augusto Botelho (PT-RR) e com deputados federais do estado, o presidente Lula prometeu que em três semanas visitaria Roraima para anunciar soluções concretas para os três pleitos apresentados a ele naquela ocasião.

O primeiro pedido foi a transferência de 5 milhões de hectares de terra do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para o estado de Roraima.

O segundo foi a implantação da área de livre comércio de Bonfim (RR), município localizado na fronteira com a República da Guiana.

O último foi a federalização da Companhia Energética de Roraima (CER).

– Estamos no dia 21 de junho; vamos completar três meses.

A resposta viria em três semanas.

O presidente Lula quer resolver, o ministro [da Secretaria de Relações Institucionais] Mares Guias também quer, mas o meio-de-campo dele não quer.

Fica inventando uma coisa ou outra e a história termina sendo empurrada com a barriga – lamentou Mozarildo Cavalcanti.

Em aparte, o senador Augusto Botelho disse que as pessoas que estão atrapalhando seriam as mesmas que trabalharam para a demarcação de terras indígenas no estado “e agora estão querendo colocar indústrias para explorar minérios” nestas áreas.

Por sua vez, o senador Jayme Campos (DEM-MT) comparou que o Mato Grosso também vem enfrentando problemas de caráter fundiário e com a ampliação do número de reservas indígenas.

fonte: Agência Senado