Mozarildo diz que não vai parar de denunciar corrupção em Roraima

PTB Notícias 14/12/2013, 7:25


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) voltou a criticar, nesta sexta-feira (13), a corrupção no governo de Roraima e disse que, apesar de já ter recebido ameaças de morte, não vai se calar diante da realidade política de seu estado.

– Já recebi ameaças de morte que, claramente, vêm lá do comando do estado, mas eu não vou parar por causa disso.

Eu fui eleito.

Eu nasci em Roraima.

Então, eu não posso, como filho de Roraima, como senador eleito pelo meu povo, deixar que essas coisas passem como se nada tivesse existido – disse.

O senador leu várias matérias de jornais de Roraima que registram o mau uso dos recursos públicos, indicando, segundo ressaltou, problemas como falta de transporte escolar para as crianças, parques mal cuidados e falta de recursos materiais e profissionais na área de saúde.

– Esse governador está realmente prejudicando todo mundo em Roraima.

É o funcionário público que não recebe em dia, que é coagido; é o empresário que é também coagido no sentido de que não paga a fatura em dia, não honra seus compromissos em dia, e os empresários vão se endividando cada vez mais – disse.

Mozarildo relembrou também as denúncias de que o governador José de Anchieta Júnior estaria envolvido com pedofilia e disse que pediu à Procuradoria-Geral da República e ao Ministério Público que investiguem o caso.

O senador ressaltou que o governador foi eleito de forma corrupta, comprando votos e criticou a paralisação no Tribunal Superior Eleitoral dos processos contra José de Anchieta Júnior.

Ele pediu ao povo que vote de maneira consciente nas próximas eleições.

– Temos que fazer agora, aqui, a ação do voto limpo, do voto consciente, porque é justamente o povo que pode fazer essa mudança.

Não esperem mudanças de cima para baixo, que essas mudanças nunca acontecem assim.

Elas acontecem quando vêm do povo – disse.

O senador também pediu ao povo roraimense que não fique desesperançoso com a política por causa dos maus exemplos.

Mozarildo disse perceber, pelas redes sociais, que o povo está desiludido e chamou as pessoas a se engajarem na política.

– Eu tenho recebido nas redes sociais muitas manifestações de pessoas sérias que dizem: “Não adianta.

Todo mundo é assim”.

Adianta, sim.

Vamos nos interessar por política, porque a política é que cuida da definição do salário mínimo, do aumento dos pagamentos dos servidores públicos de um modo geral.

Enfim, cuida da vida da gente de um modo geral, tanto através de empresas privadas, quanto através do governo – concluiu.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Agência Senado