Mozarildo diz que pessoas da Região Norte se sentem menos seguras

PTB Notícias 12/04/2011, 8:09


Em pronunciamento nesta segunda-feira (11/04), o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) citou pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para afirmar que a sensação de insegurança da população é maior na Região Norte do que no restante do país.

O parlamentar afirmou que a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD) do IBGE indicou que, em média, 52% das pessoas maiores de 10 anos declararam sentir segurança nas suas cidades em 2009.

A média das cidades da Região Norte foi de 48,2%.

O senador citou também o percentual dos que se sentem seguros em seu bairro: 67,1% na média brasileira, contra 59,8% nas cidades da Região Norte.

Já os que declararam sentirem-se seguros em seu domicílio somaram 79,6% na média brasileira e 78% na Região Norte.

Mozarildo Cavalcanti informou que a pesquisa abrangeu 162 milhões de brasileiros maiores de 10 anos.

A amostragem equivale dizer que 11,9 milhões de pessoas foram furtadas entre 27 de setembro de 2008 e 26 de setembro de 2009.

– A segurança pública tem sempre figurado como uma das maiores preocupações da sociedade brasileira – afirmou o parlamentar.

A pesquisa apontou ainda, assinalou o senador, que 7,3% da população com 10 anos ou mais sofreram crime de furto ou roubo no ano anterior à pesquisa.

Outros 1,6% sofreram agressão física.

O parlamentar acrescentou que a pesquisa do PNAD constatou que as mulheres e as pessoas idosas se sentem menos seguras, enquanto pessoas de cor branca têm mais sensação de segurança do que cidadãos de outras etnias.

Outra constatação foi que 60% das residências do país utilizam múltiplos dispositivos de segurança.

Mozarildo Cavalcanti pediu que as comissões do Senado Federal se debrucem sobre os dados revelados pela pesquisa do PNAD.

O senador destacou ainda o desaparelhamento e falta de quadros das polícias Federal e Rodoviária Federal.

Também deplorou a situação da Polícia Civil de Rondônia, que vem trabalhando com baixos salários e postos policiais e viaturas sucateados.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações da Agência Senado