Mozarildo: é preciso criar mais cursos de medicina no interior do Brasil

PTB Notícias 18/06/2012, 17:33


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) destacou, em discurso nesta segunda-feira (18/6/2012), a importância da criação de novos cursos de medicina, principalmente nas regiões que apresentam maior carência de médicos.

Ele discordou do artigo publicado, nesta semana, na revista Istoé que diz que a quantidade de médicos não é um problema no Brasil, mas sim a concentração dos profissionais em poucos estados.

O senador citou pesquisa publicada na própria revista que aponta Roraima com maior percentual de médicos do que outros estados da região Norte.

E afirmou que o resultado é fruto de uma maior formação de médicos no local.

“Vários estados da região Norte estão abaixo de Roraima.

Por quê? É porque lá o atrativo para exercer a Medicina é maior? Não, é porque lá se está formando médicos desde 1980, portanto, com três décadas de funcionamento, nós temos uma diferença fundamental.

É preciso, sim, criar cursos de Medicina.

Se não houvesse o curso de Medicina em Roraima não teríamos hoje a proporção que temos”, destacou o petebista.

Mozarildo Cavalcanti pediu aos professores de medicina dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais que eles colaborem para o Brasil do interior, por exemplo, tirando alguns dias por mês para dar aula em faculdades no interior do Norte e do Nordeste.

O senador explicou que, quando o curso de medicina foi em criado na Universidade Federal de Roraima, foi necessário buscar professores em Cuba porque os professores do Brasil não queriam se deslocar para a região.

O senador disse que a carreira médica deveria ser transformada em uma carreira de Estado, assim como é, a de juiz.

Ele explicou que um juiz começa a carreira como substituto e vai para um lugar onde haja carência de juízes.

Depois, tem possibilidade de escolher, dentro de um leque de opções, para onde ir trabalhar.

Mozarildo Cavalcanti lembrou também que é preciso combater a má gestão e a corrupção na área da saúde e fornecer melhores condições de trabalho para os médicos.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Agência SenadoFoto: Waldemir Barreto/Agência Senado