Nelson Bugalho ressalta importância do Mutirão do Lixo Eletrônico

Agência Trabalhista de Notícias 11/06/2019, 9:35


Imagem Crédito: Divulgação

No sábado (8) aconteceu, no Parque do Povo, em Presidente Prudente (SP), a 12ª edição do Mutirão do Lixo Eletrônico. Na sexta-feira (7) a coleta foi realizada nos distritos de Ameliópolis, Eneida, Floresta do Sul e Montalvão.

O evento foi uma realização do governo de Presidente Prudente por meio da Secretaria Municipal de Tecnologia da Informação (Setec), com apoio da Inova Prudente, das demais secretarias, em parceria com a Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), Green Eletron, Sicredi Rio Paraná, Companhia Prudentina de Desenvolvimento (Prudenco), Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e Secretaria de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente.

O prefeito Nelson Bugalho (PTB) ressaltou a importância do evento e destacou a participação da população. “Temos o maior mutirão do Brasil e todos os anos conseguimos recolher uma quantidade considerável. Só temos a agradecer a população que está cada vez mais consciente em guardar o material e descartá-lo no mutirão”, disse.

Segundo o secretário de Tecnologia, Rogério Alessi, que acompanhou a promoção do Mutirão do Lixo Eletrônico do início ao fim neste ano, toda a logística e transporte do material foi recolhido pela Green Eletron. “É uma empresa certificada pela Associação Brasileira das Indústrias Eletroeletrônicas e especialista em descaracterização de lixo eletrônico”, explicou.

Como o intuito do mutirão é conscientizar a população sobre os danos que o lixo eletrônico pode causar e possibilitar o descarte ambientalmente correto, foram coletados mais de 50 toneladas de celulares, itens de computadores, mouse, cabos, aparelhos eletrônicos, pilhas, entre outros.

Além de auxiliar no recebimento do material a ser descartado, a Inova Prudente disponibilizou uma Oficina de Artes para as crianças confeccionarem esculturas utilizando lixo eletrônico, como também uma exposição de obras de artes elaborada com disquetes velhos e madeira de demolição pelo professor Itamar Xavier.

Com informações do Inova Prudente