Nenê relembra história da juventude PTB em palestra no Encontro de Cuiabá

PTB Notícias 28/03/2010, 10:26


O membro da Executiva do PTB de Porto Alegre, Carlos Siegle, o Nêne, ex-presidente da JPTB, falou aos participantes do Encontro Nacional da JPTB sobre a história do movimento jovem do partido e a importância de se discutir políticas públicas para a Juventude.

Nenê iniciou sua palestra contando um pouco de como se iniciou o movimento jovem petebista.

De acordo com Nenê, a Juventude PTB se iniciou basicamente em dois estados – Rio Grande do Sul e São Paulo.

No Rio Grande do Sul e em São Paulo.

No Rio Grande do Sul, inicialmente em 1993, com o nome de JT (Juventude Trabalhista).

Em 1997, os membros da juventude tiveram contato com outras juventudes estaduais para participar do festival mundial da juventude em Cuba.

No evento, de acordo com Nenê, os membros da JT enxergaram a necessidade de unir nacionalmente a juventude do PTB.

No ano de 1997, explicou Nenê, no Estado de Santa Catarina, foi nomeada a primeira comissão provisória Nacional do Movimento da Juventude Petebista (MJT), e após isso, em novembro do mesmo ano, ocorreu o primeiro encontro nacional com toda a direção do partido na cidade de Tramandaí.

Em 1998 aconteceu a primeira Eleição do diretório nacional com Carlinhos Vargas como o primeiro presidente do movimento.

Continuando a história do movimento, Nenê afirmou que o PTB foi a primeira juventude partidária a realizar a campanha para votação de jovens de 16 a 18 anos no País em 1998.

Nenê lembrou que em 1999 se verificou a necessidade da inserção do PTB através dos jovens nos movimentos sociais.

Ainda em 1999, foi eleito o primeiro membro de Executiva Nacional da UBES oriundo do MJT, marcando o início da participação do movimento jovem nos órgãos de direção do PTB.

Em sua palestra, Nenê afirmou também que no ano 2000 o numero de jovens entre 16 e 18 anos aumentou em 20 % no país, e com certeza o MJT teve muita responsabilidade nesse crescimento da participação da juventude .

“Em 2001 levamos mais de 1000 jovens para o congresso nacional dos estudantes e dois jovens petebistas sairam eleitos para a Executiva da UNE.

Também realizamos a segunda conveção nacional do movimento.

Foi a juventude do PTB que consolidou a indicação do Partido na chapa de Ciro Gomes como seu vice para presidencia da República”, disse Nenê.

Segundo ele, em 2003, o MJT participou do Congresso da UNE e novamente elegeu representante na Executiva da UNE.

Nenê afirmou que o PTB precisa retomar a discussão sobre a participação no movimento estudantil para arregimentar novos filiados e militantes para o partido.

Para Nenê, é preciso discutir temas relacionados à educação, ocupar os espaços no movimento estudantil, adotar uma estratégia política unificada para a juventude, além de defender as minorias e criar debates específicos dentro da estrutura de direção do partido.

“Se a gente se organizar, a juventude do PTB pode fazer diferente.

A gente só constrói partido se houver participação de todos, união e dedicação”, finalizou Nenê.

Agência Trabalhista de Notícias