Nilton Capixaba alerta sobre a grave situação da educação em Rondônia

PTB Notícias 29/09/2011, 12:18


O deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO), comentou no Programa Palavra Aberta da TV Câmara, nesta quinta-feira (29/09/2011) sobre a situação da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) apontando a falta de recursos e principalmente o abandono com a educação na região Norte.

O parlamentar destacou o descaso com a educação no Estado: “A UNIR está instalada há muitos anos em nosso Estado, com vários campus no interior.

Nosso Estado possui um diferencial: do início da divisa do Mato Grosso com o Acre são mais de mil quilômetros.

Então são mais de 52 municípios.

Agora você imagina, nós temos campus, mas falta tudo: professor, estrutura física, equipamento e sala de aula para os cursos.

Não adianta criar os cursos sem estrutura física.

Hoje, os alunos estão na rua pedindo o apoio dos parlamentares e representantes”, afirmou o petebista.

O deputado ressaltou o abandono da região Norte com relação ao investimento em cursos já existentes : “Hoje a região Norte está abandonada, ao invés de financiar novos cursos e campus, por que não investir no que já está pronto? Venho fazer esse apelo ao Governo Federal e ao Ministro da Educação (Fernando Haddad), que tivesse um tempinho e fosse visitar a Região Norte e a Universidade.

Temos o curso de medicina, mas não temos laboratório! Como o estudante irá fazer sem a prática do curso? Falaram em criar um Hospital Universitário, mas ficou só no papel, pois a obra está inacabada”, alertou o Nilton Capixaba.

Ao finalizar a entrevista, o parlamentar avaliou o caos da UNIR e destacou: ” Venho aqui falar que a Universidade Federal de Rondônia está na UTI .

Está morrendo.

Venho fazer este apelo a presidenta Dilma e ao Ministro da Educação que olhe por nós.

Você pede uma audiência e não é recebido, o reitor da UNIR está de braços cruzados, os professores todos em greve e os alunos na rua com o rosto pintado e nariz de palhaço pedindo o apoio de alguém”, ressaltou o petebista.

Agência Trabalhista de Notícias, por Paula de Biasi