Nilton Capixaba cobra ações efetivas do governador Gonfúcio Moura (RO)

PTB Notícias 9/04/2012, 16:14


O deputado federal Nilton Capixaba (PTB-RO), ao usar a tribuna no último dia, 02/04/2012, fez um relato sobre a situação em que vive o Estado de Rondônia após o início da construção das usinas do rio Madeira, em Porto Velho.

“É constante o clamor da população por melhorias na área da infraestrutura, estradas, saneamento básico, água tratada, saúde, agricultura, educação, segurança, o código florestal, a dívida bilionária do Beron e a prometida transposição dos servidores públicos de Rondônia para o quadro da União”, disse o parlamentar.

Segundo o parlamentar, diversas promessas foram feitas ainda na gestão do ex-presidente Lula, mas até o momento não saíram do papel.

“Em Rondônia o único benefício que saiu do papel foi a construção das usinas.

Essa obra ganhou prioridade do Governo Federal em função de interesse de outros estados do Sul do Brasil e de Empresas”.

Essas usinas ajudarão o Sul do País na geração de energia, mas de acordo com o parlamentar, deixarão um rastro de destruição enorme em Rondônia.

“A violência explodiu na capital Porto Velho.

As Unidades de saúde pública e particulares continuam superlotadas.

Há falta de médicos e medicamentos para casos que necessitam de atenção especial.

Pacientes permanecem jogados pelos corredores do único hospital público existente na Capital”.

Nilton Capixaba citou como exemplo, ainda, a paralisação das obras dos viadutos, em Porto Velho, a falta de investimentos da BR-365 e 429, saneamento básico, esgotamento sanitário e saneamento básico, a dívida impagável do Banco do Estado de Rondônia (Beron) e novela da transposição dos servidores de Rondônia para o quadro da União.

Por fim, o deputado lembrou do Código Florestal, em discussão no Congresso Nacional.

“Não é aceitável que pessoas de outros países, que não fizeram o dever de casa, venham opinar no Brasil e dizer como proceder na preservação da Amazônia.

Esses ambientalistas foram os responsáveis pelo desmatamento em seus países e agora querem interferir no Brasil”, desabafou.

Ivana Souza – Agência Trabalhista de Notícias, com informações do Portalderondonia.

com