No ano de 2007, Sonia Santos já condenava invasões da Via Campesina

PTB Notícias 8/03/2008, 16:15


Em matéria divulgada pelo Portal do PTB no dia 8 e março de 2007, a vice-presidente da Executiva Nacional do partido, a gaúcha Sônia Santos, condenava a ação organizada pela Via Campesina, grupo de mulheres, à feição do MST, que promove invasões de terra e de empresas que lidam com agricultura transgênica.

Há um ano atrás, a Via Campesina promoveu ações de vandalismo e invasões de terra na época em que se comemorava o Dia Internacional da Mulher.

Neste ano de 2008, novamente na véspera do dia 8 de março, um grupo de manifestantes da Via Campesina invadiu a unidade de pesquisa da empresa norte-americana Monsanto, no Rio Grande do Sul, destruindo um viveiro e um campo experimental de milho transgênico.

Pela atualidade do que disse Sonia Santos no ano passado, republicamos abaixo a matéria que foi ao ar originalmente no dia 8 de março de 2007, em que a petebista critica a ação da Via Campesina, além de fazer considerações sobre o papel da mulher na sociedade brasileira atual.

Sônia Santos fala sobre papel da mulher e invasões da Via CampesinaA ex-vereadora e 5ª vice-presidente do PTB, Sônia Santos (RS), afirmou hoje (08/03) que, no Dia Internacional da Mulher, não dá para deixar de se referir à participação das mulheres à frente da Via Campesina.

“As invasões que ocorreram no Estado do Rio Grande do Sul nesta terça-feira (06/03) ressaltam a chaga social em que vivemos.

Se por um lado nós ficamos felizes por termos uma governadora e uma ministra do STF, ficamos tristes por vermos mulheres invadindo terras, mostrando o descontentamento delas”, destacou.

Segundo a petebista, a sociedade já avançou muito em relação às mulheres, mas ainda hoje não as contempla com eqüidade.

“Sabemos que nunca haverá igualdade, até por questões fisiológicas.

Portanto, penso que as mulheres devem lutar por eqüidade, justiça e imparcialidade”, disse Sônia.

Ela citou uma frase de Adélia Prado que, para ela, diz tudo sobre a mulher brasileira, sobretudo, a gaúcha: “Um dia acordei e me dei conta de que possuía uma história contínua e indesligável de mim”.

Sônia falou que o PTB, nesse momento, reafirma a busca pelo direito dos trabalhadores, dando espaço político para as mulheres e revertendo a situação dos trabalhadores informais.

“Sempre quando ocorrem problemas em casa, como a desestruturação da família, o ônus recai sobre a mulher.

Temos que incentivar as mulheres, principalmente na vida pública, para que elas possam construir um Brasil melhor”, finalizou.

Agência Trabalhista de Notícias