No RS, Classmann propõe implementação da 3ª faixa em rodovias estaduais

PTB Notícias 4/11/2014, 9:39


De autoria do deputado estadual Aloísio Classmann (PTB), o (http://proweb.

procergs.

com.

br/consulta_proposicao.

asp?SiglaTipo=PL&NroProposicao=209&AnoProposicao=2014″ target=”_blank) projeto de lei 209/2014 cria o Programa de Implementação da Terceira Faixa em rodovias estaduais no Rio Grande do Sul.

A proposta busca dar fluidez ao tráfego e diminuir a letalidade em acidentes verificados nas rodovias gaúchas.

De acordo com a justificativa do projeto, a ideia é estabelecer mais do que um instrumento de escoamento de produção e de melhora no fluxo de veículos – assunto que, por si, já é de grande importância na engenharia de tráfego –; é também proteger vidas humanas, tentando frear os altos índices de mortalidade causados por acidentes nas rodovias gaúchas.

Para Classmann, a realização de ultrapassagens origina um risco inerente às rodovias, mas o Estado não pode se ausentar nem da responsabilidade dos riscos de acidentes, nem da permanência desses acidentes em elevados índices.

“Até mesmo a presença de caminhões, que não conseguem desenvolver uma velocidade compatível com o tráfego seguido pelos veículos leves, causam riscos consideráveis por obrigarem os condutores a realizar ultrapassagens em situações não tão favoráveis quanto seria ideal para a segurança dos viajantes”, alerta o deputado.

A construção de uma terceira faixa seria a solução nesses trechos considerados críticos.

A terceira faixa é destinada aos veículos mais lentos, sendo considerada, assim, como uma faixa auxiliar.

“A potencialidade em evitar acidentes por meio dessa faixa auxiliar é evidente, e urge que o poder público lance mão desse instrumento como mais uma política pública voltada à segurança do tráfego em nossas rodovias”, enfatiza Classmann.

O petebista propõe que o Programa de Implementação da Terceira Faixa em rodovias estaduais seja coordenado pela Secretaria de Infraestrutura e Logística (Seinfra) e abarque trechos que registrem altos índices de acidentes; que necessitem de aumento na sua capacidade para atender à demanda de tráfego; que possuam reduzidos pontos de ultrapassagem e tenham aclives que reduzam drasticamente a velocidade da via.

Pela proposta, todas as novas rodovias a serem construídas no Rio Grande do Sul deverão possuir a terceira faixa em seus pontos críticos.

Faixas adicionais diminuem acidentesAloísio Classmann cita um estudo desenvolvido pela Universidade de São Paulo (USP), denominado “Critérios para a implantação de faixas adicionais sem rampas ascendentes das rodovias brasileiras”, que concluiu que 78% da variação na taxa de envolvimento de caminhões em acidentes podia ser explicada simplesmente pelo tráfego em pista simples.

O índice cai bruscamente apenas com a inserção de mais uma pista de rodagem: no caso do tráfego em pista dupla, por exemplo, essa porcentagem cai dos 78% para 22,7%, ou seja, a relação entre os acidentes que foram abordados dentro do estudo e a pista diminuem drasticamente com a inserção de mais uma faixa.

“Esses resultados se apresentam como evidências empíricas de que o foco causador de acidentes não está somente em problemas mecânicos dos veículos ou por erros humanos.

Há uma forte associação entre o nível de risco de acidentes e a estrutura das pistas”, conclui o parlamentar.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Agência de Notícias ALRSFoto: Marcelo Bertani/Agência ALRS