No seu blog, Roberto Jefferson comenta entrevista de Romario à “Veja”

PTB Notícias 18/03/2012, 13:06


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicadosem seu blog na internet (www.

blogdojefferson.

com) neste domingo (18/03/2012):O peixe que não morre pela boca Como na época em que atuava nos gramados, Romário é a estrela do fim de semana, com uma contundente entrevista às Páginas Amarelas de “Veja” e postagens no Facebook.

Na “Veja” Romário abre o verbo e critica a pasmaceira e a submissão do Congresso, “onde ninguém quer saber de nada”.

Já nas redes sociais, diz que o governo do PT e a FIFA tentam suprimir o Legislativo da discussão sobre a Lei da Copa, e que “a corrupção vai correr solta”.

Esse é o jeito do baixinho jogar: com autenticidade e às claras.

Vai virar craque também na política.

Pontaria afiada Tanto na “Veja” como no Facebook, Romário denuncia que muita gente poderá se beneficiar dos atrasos nas obras de estádios, mobilidade urbana e aeroportos para a Copa do Mundo de 2014.

Para ele, “vai chover” obra emergencial sem licitação quando chegar a reta final, abrindo as portas para a corrupção e o desvio de recursos.

O deputado, que reclamou abertamente do fato do governo do PT e da FIFA não terem chamado os deputados para o encontro no Palácio do Planalto, diz que pretende acompanhar de perto a evolução das obras da Copa, e finalizou com um chute certeiro: “vou escancarar a bandalha”.

Mais um golaço do peixe.

Revisão já! Segundo o jornal “O Globo”, um estudo inédito da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) revela que 83% das prefeituras do país dependem de repasses federais e estaduais para sobreviver, e dessas, a grande maioria se encontram em situação fiscal crítica.

A matéria traz à tona novamente o debate sobre a necessidade do país discutir um novo modelo de distribuição dos recursos arrecadados dos contribuintes.

A parte mais expressiva do bolo, que ano a ano atinge recordes históricos (em 2012 deve ser quebrada a marca de 1,5 trilhão pagos pela população em impostos), hoje se concentra nas mãos do poder central, que além dos parcos repasses via Fundo de Participação (tantos dos Estados como dos Municípios), contingencia verbas e decide a seu bel prazer como encaminhar recursos de programas e emendas parlamentares às prefeituras.

O modelo de Federação brasileira está esgarçado, e precisa ser modificado com urgência.

Que a crise de governabilidade que atualmente envolve os poderes não faça empacar essa discussão, vital para a democracia brasileira.

Pontapé inicial Por falar no debate sobre o novo pacto federativo, o presidente do Senado, José Sarney, cumpriu prontamente o que prometeu e instalou uma comissão de notáveis para a discussão da Federação.

A comissão é composta de juristas, economistas e cientistas políticos do quilate do ex-ministro do STF, Nelson Jobim, dos professores João Paulo dos Reis Veloso, Ives Gandra Martins e Everardo Maciel; do dr.

Adib Jatene, dos economistas Bernardo Appy e Bolívar Lamounier, dentro outros.

O colegiado tem o prazo inicial de 60 dias para rever as relações entre as unidades federadas, estabelecer mecanismos para evitar a guerra fiscal, propor nova distribuição de recursos para o FPE e o FPM, apresentar soluções para tornar mais eficiente o sistema tributário nacional e analisar questões políticas relacionadas a esses temas.

Os resultados dos trabalhos serão apresentados em relatório, do qual poderão fazer parte anteprojetos para subsidiar futuras proposições legislativas.

Desejamos boa sorte ao grupo.

Que esta discussão não se paralise com a chegada das eleições municipais.

Ideia fixa Pela enésima vez, a revista “Veja” mira o julgamento do mensalão, fazendo uma ingerência indevida no futuro julgamento da ação.

E de novo o alvo da revista é o ministro Dias Toffoli, que, para “Veja” devia se julgar impedido a participar do julgamento do processo.

Se há algumas semanas a revista atacava Toffoli com uma história não confirmada sobre um romance que ele teria mantido com uma advogada, agora as baterias se voltam contra a própria companheira do ministro.

“Veja” afirma que a advogada Roberta Maria Rangel, companheira de Toffoli, trabalhou na defesa de José Dirceu e outros deputados envolvidos no processo, o que, para a revista, configura motivo para que o ministro se declare impedido de julgar o caso.

“Veja” não descansará até conseguir impor seu veredicto ao Supremo Tribunal Federal.

Valeu, Ernani! Deixo aqui uma nota de profundo pesar e lamento pela morte de Ernani Pires Ferreira, por décadas o narrador oficial das provas de turfe no Jockey Club do Rio de Janeiro.

Aos 77 anos, Ernani foi vítima de um edema pulmonar e uma sequência de paradas cardíacas.

A história de Ernani Pires Ferreira se confunde com a própria história do turfe nacional, e ele ficará para sempre marcado não só como “A voz do Jockey Club”, mas como a própria voz deste esporte.

Que esteja em paz.