O Globo: Roberto Jefferson diz ‘não ver chance’ de ser condenado pelo STF

PTB Notícias 19/07/2012, 13:52


Leia abaixo a integra da reportagem de O Globo sobre a reeleição do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicada nesta quarta-feira (18/7/2012) no site:Faltando menos de um mês para o início do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-deputado Roberto Jefferson – que foi um dos delatores do escândalo – está de volta à presidência do PTB.

Jefferson teve seu mandato cassado e está entre os 38 réus do processo.

Ele disse estar preparado e tranquilo para a luta, mas já conta com a absolvição dele próprio e da maioria dos mensaleiros.

“Não vejo nenhuma chance de me condenarem.

Muitos petistas serão absolvidos.

O julgamento será técnico e não político.

Seria um absurdo jurídico enorme! O Supremo não vai fazer isso”, prevê Jefferson.

O ex-deputado foi reeleito por unanimidade para presidir o partido pelo quarto mandato consecutivo na reunião do Diretório Nacional do PTB, nesta terça-feira.

Durante o anúncio do resultado da eleição do novo presidente do partido, Roberto Jefferson chorou enquanto sua filha, a candidata a vereadora Cristiane Brasil (PTB), lia o resultado do pleito.

O novo presidente do partido disse durante a reunião que o objetivo do partido é eleger 600 prefeitos.

“Vamos consolidar o nosso trabalho na base, que é o município.

O PTB conta com o trabalho dos presidentes dos diretórios, estaduais e municipais nesta eleição de 2012, para atingirmos os objetivos que almejamos e sonhamos, de conquistar a vitória em cerca de 600 prefeituras espalhadas por todo o País.

“Vários dirigentes do PTB se revezaram nos discursos para manifestar apoio ao réu do mensalão.

O secretário geral Campos Machado foi o mais inflamado e disse que não estavam ali só para reeleger Roberto Jefferson, mas “homenageando” a História.

Disse que quando tudo isso acabar, vão estampar numa camiseta a frase: ” Eu sempre acreditei em Roberto Jefferson”.

O presidente reeleito explicou que a manifestação, ao contrário da mobilização feita pela CUT e mensaleiros do PT, não é afrontar ou desafiar o STF na véspera do julgamento.

Disse que é uma manifestação interna de apoio, sem preocupação de confrontar os ministros.

“Vamos verbalizar minha inocência sem confrontos às instâncias democráticas, sem juntar gente na frente do Supremo e sem manifestação hostil.

Não acho saudável para a democracia fazer isso.

Temos que respeitar o Judiciário”, disse Jefferson, que pretende acompanhar o julgamento na sede do PTB com os aliados.

Na primeira parte dos discursos, Jefferson e o filho do senador Fernando Collor (PTB-AL), Fernando James – candidato a deputado federal nas próximas eleições – reagiram à entrevista da ex-primeira dama Rosane Collor, ao programa Fantástico, da Rede Globo.

“Chamar de magia negra a umbanda? Quem num momento da vida já não fez um despacho? Quem não deu uma pipoquinha para o santo? Vou confessar que já fiz muito despacho nessa minha vida.

Não sei se deu certo, mas fiz”, disse Jefferson, acusando Rosane de usar o programa para pressionar pelo aumento de sua pensão de R$18 mil.

No discurso aos delegados e dirigentes do PTB, em Brasília, Roberto Jefferson contou porque decidiu botar a boca no trombone sobre o mensalão.

Disse que durante seu primeiro depoimento à CPI do Mensalão, sua filha Fabiana ligou dizendo que a Polícia Federal estava fazendo uma busca e apreensão em sua casa, em busca de dinheiro, revirando partes intimas da sua casa.

Ele então perguntou quem chefiava a operação, e a filha disse que era o procurador Bruno Acioly.

Nesse momento, chorando, ele contou que tomara a decisão, porque quando ferem a família, não tem volta.

“Eu estava para depor na CPI e disse para minha filha Fabiana: bota esse bundão na frente da TV que ele vai ver o que eu vou fazer”, contou Jefferson.

“Estamos prontos para a luta, né minha gatinha?”, encerrou o discurso, dirigindo-se a sua jovem esposa Ana Lúcia, que só se refere a Jefferson como ” meu lindo”.