‘O PTB não é seita’, adverte Senador Armando Monteiro Neto

PTB Notícias 13/05/2011, 7:28


Em meio à nova crise aberta na Frente Popular do Recife com a crítica do deputado estadual Sílvio Costa Filho (PTB) à gestão do prefeito do Recife, João da Costa (PT), o senador, presidente estadual e líder petebista Armando Monteiro Neto afirmou, ontem, 12/05, que “o PTB não é uma seita, com um guru que aponta uma posição e todos se alinham em torno dela”.

O senador ressaltou que o PTB é um partido que permite a liberdade de expressão aos seus quadros, por isso não vai “enquadrar ninguém” por expressar seu pensamento, porém, voltou a assegurar que o partido está na base de apoio do prefeito na Câmara Municipal.

“Nós estamos na base e o PTB vai estar alinhado na Frente quando se abrir a discussão sobre 2012.

Agora, não vai orientar companheiros a não dar mais declarações”, resumiu Armando.

Autor do mais novo “fogo amigo”, o deputado Sílvio Costa Filho acusou – em entrevista quarta-feira ao JC – a gestão de João da Costa de “burocratizada” e responsabilizou o próprio PT pela antecipação do debate eleitoral no Recife, insinuando que nos bastidores os petistas cogitam um Plano B para a sucessão de 2012.

As declarações irritaram dirigentes petistas.

O presidente do PT, Pedro Eugênio, negou a existência de Plano B e lamentou que a questão tenha sido colocada por partido aliado.

O secretário de Turismo do Recife, André Campos (PT), chamou Sílvio Costa Filho de “oportunista”.

Ao rejeitar as censuras, Armando Monteiro considerou “desproporcionais” as reações dos aliados do PT e revelou que pretende conversar com os petebistas sobre a questão, mas sem nenhuma “preocupação especial”.

Pela manhã, em entrevista ao Programa Super Manhã, de Geraldo Freire, na Rádio Jornal, o senador já tinha afirmado que o PTB “não saiu da base de apoio do prefeito João da Costa, está dando sustentação política na Câmara e não quer tensionar a relação com os companheiros do PT”.

Ao JC, Armando Monteiro reafirmou que, ao deixar o governo municipal, em janeiro passado, o PTB deixou claro que não se tratava de um rompimento político e que continuaria no apoio à gestão.

“Às vezes, um apoio crítico, mas é um apoio.

Votamos nos projetos do governo.

Há muito tempo vem se colocando a gestão na berlinda, mas nós queremos que ela se acerte, que se ajeite em benefício da cidade, e que se coloque um ritmo que possa atender às demandas”, traduziu o pensamento petebista.

O senador negou veementemente que as declarações de Sílvio Costa Filho tenham sido o anúncio de uma pretensão majoritária, no Recife, do PTB ou do próprio deputado e ex-secretário de Turismo de Pernambuco.

“Nem o deputado está colocando o seu nome, nem o PTB está colocando candidato, nem tem candidato posto.

O PTB vai estar alinhado com a Frente Popular no momento em que se abrir a discussão sobre 2012″, garantiu.

Ao repetir que os quadros do PTB têm liberdade para se expressar, Armando Monteiro observou que as declarações do deputado petebista devem ser entendidas assim em seu contexto próprio (o pensamento pessoal do político).

“Sílvio é um companheiro de quem gosto, que tem uma inserção no Recife.

Posso até não concordar com alguma coisa que disse, mas o PTB é um ente coletivo com liberdade de expressão.

Não vou desautorizar declaração de ninguém”.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Jornal do Comércio online