“O PTB não vai fazer coligação em Campo Grande”, diz Roberto Jefferson

PTB Notícias 30/09/2011, 22:08


O presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, afirmou nesta sexta-feira (30/09/2011), na cidade de Campo Grande, no encontro do Diretório do Mato Grosso do Sul, que a legenda trabalhista não vai fazer coligações nas eleições proporcionais naquele Estado.

Segundo Jefferson, o partido precisa ter sangue puro nesses cargos – ao contrário das majoritárias, em que o PTB irá fazer dobradinha com o PMDB.

O evento, promovido pelo presidente do PTB-MS, Ivan Louzada, e que contou também com a participação do Primeiro Secretário da Executiva Nacional, Norberto Martins, e do governador André Puccinelli, do PMDB, reuniu cerca de 200 pessoas de aproximadamente 40 municípios, no Grand Park Hotel, no centro da capital do estado.

“Não vai haver coligação.

Na (eleição) majoritária tudo bem, é uma coisa racional, porque também não vamos dar murro em ponta de faca.

Mas coligar na proporcional não, porque sacrifica a condição de sobrevivência do nosso partido”, disse Roberto Jefferson aos militantes petebistas, sustentando ainda: “Vamos fazer nossa gente, com sangue da cor, do PTB.

Do nosso sangue nós não podemos distribuir.

Isso é palavra empenhada”, garantiu.

Nas próximas eleições, o PTB, de acordo com Jefferson, não esperará por milagre.

Ele disse que devido ao partido estar passando por uma reconstrução no estado, o PTB vai caminhar devagar, paulatinamente, onde “pode andar na medida do que é possível caminhar”.

Segundo o líder petebista, “é essa a proposta que o PTB quer por em prática.

” A meta é eleger 40 a 50 vereadores.

Em Campo Grande, pelo menos, um.

A chapa na capital é composta por 52 pessoas, sendo 36 homens e 16 mulheres.

Já para prefeitos, eleger 40 a 50 em todo o estado.

“E aí nós vamos construindo o PTB, devagar”, frisou Jefferson.

“Há um projeto de a gente fazer em 2014 pelo menos um deputado estadual e um federal com a base de prefeitos e vereadores que vamos construir o partido em Mato Grosso do Sul.

Sem angústias, sem expectativas irrealizáveis, sem ambições muito grandes”, acrescentou.

Porém, como argumentou o presidente do partido, para que essa ideia seja fomentada, espera-se que os correligionários, independentemente se forem disputar o certame eleitoral, tenham a sede pela construção para o PTB, com humildade, serenidade e, sobretudo, de formar o espírito partidário.

“Precisamos criar esse sentimento.

” No encontro, o presidente do PTB-MS, Ivan Louzada, enfatizou também o pedido de auxílio para reestruturar o partido e, consequentemente, fortalecê-lo no estado.

Ele salientou ainda o trabalho pela busca de novos filiados e a relevância que a disputa do certame eleitoral tem para a agremiação.

Entretanto, como observou, “não adianta querer fazer número, e sim qualidade, e que seja da nossa gente”.

“O que nós estamos fazendo é de coração.

Vamos fazer o partido? Vamos! Mas não estamos visando quantidade”, disse Louzada.

“Estou pedindo que ajudem o PTB.

Não estou exigindo 80%, 100% ou 200%.

Estou pedindo que ajudem o partido.

Faça seu compromisso em 40%, até 50%.

Mas venha para o meio-de-campo.

Se não fizermos isso, nós nunca faremos o PTB em Mato Grosso do Sul.

Mas com a força de vocês (petebistas) alcançaremos o nosso objetivo”, concluiu o presidente do Diretório Estadual.

Agência Trabalhista de Notícias, por Felipe Menezes, enviado especial a Campo Grande (MS)