Pacote faz crescer tensão no Congresso Nacional, diz José Múcio

PTB Notícias 5/01/2008, 10:09


O ministro José Múcio (Relações Institucionais) considerou que o anúncio das medidas para compensar a perda de arrecadação com o fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) tensionou ainda mais a relação do Executivo com o Congresso.

É o que informa neste sábado, 05/01, reportagem do jornal Folha de S.

Paulo.

Segundo a reportagem, o ministro José Múcio retorna ao trabalho a partir de segunda-feira, e diz que sua missão será mapear demandas e resolver pendências de parlamentares, primeiro passo para reconstruir a relação com os aliados e a oposição após o turbulento processo de votação do chamado “imposto do cheque”.

A Folha de S.

Paulo informa que as pendências envolvem a nomeação para cargos nos Estados e indicações para a administração federal.

Para “reconstruir pontes” no Congresso, a expectativa é de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva formalize na próxima semana a indicação do senador Edison Lobão (PMDB-MA) para o Ministério das Minas e Energia.

O comando do PMDB deve se reunir com Lula até quinta-feira que vem.

Nesta sexta-feira, o presidente se reuniu com o ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner.

Na conversa, o presidente teria dito que após o dia 10 haverá uma decisão sobre a situação da pasta.

Hubner ocupa interinamente o ministério há quase oito meses desde a saída do ex-ministro Silas Rondeau –que pediu demissão do cargo ao ser apontado como beneficiário do suposto esquema de fraude em licitações para realização de obras públicas.

O esquema foi investigado pela Operação Navalha, da Polícia Federal.

fonte: Folha Online