Paes Landim alerta para desertificação de biomas do Cerrado e da Caatinga

PTB Notícias 29/10/2009, 10:22


A declaração final da 8ª Mesa Redonda dos Parlamentares da Convenção das Nações Unidas para a Luta contra a Desertificação e da 9ª Conferência das Partes (COP), que reuniu em setembro parlamentares de todo o mundo envolvidos com o tema, faz um apelo para que as chamadas redes parlamentares do mundo inteiro se integrem na defesa e na vigilância de políticas públicas a fim de melhor desenvolver o combate à desertificação.

Na avaliação do deputado Paes Landim (PTB-PI), “a desertificação fere mortalmente a África, mas ataca o coração do Nordeste brasileiro, com graves danos para o Ceará e o Piauí, em particular, além do Centro-Oeste e parte do Rio Grande do Sul”.

O Brasil, disse o deputado, não atentou ainda para a importância do combate à desertificação.

A Frente Parlamentar Ambientalista, defendeu Landim, precisa se mostrar mais sensível ao tema.

O Ministério do Meio Ambiente, prosseguiu, também tem passado ao largo do combate à desertificação e da proteção ambiental do Cerrado e da Caatinga.

Paes Landim informou que, em audiência na Câmara com o ministro Carlos Minc, ele alertou que, tanto no Ministério do Meio Ambiente como nos órgãos que cuidam da preservação ambiental e da sua fiscalização, como o Instituto Chico Mendes e o Ibama, não há ninguém ligado ao Cerrado e à Caatinga.

Landim defendeu uma firme política de reversão de devastação do Cerrado do Piauí, a fim de evitar que a exuberância da sua fauna e flora desapareça.

“A riqueza dos rios Gurguéia, Parnaíba, Paraim, Contrato, que já morreu, Uruçuí-Preto, todos assoreados e com as suas matas ciliares destruídas, clamam por urgente socorro das autoridades federais.

“Gurguéia – Para o deputado, a única solução para conter a devastação do Cerrado e proteger a Caatinga é a criação do estado do Gurguéia que, segundo informou, protegeria o rio Piauí, que está desaparecendo.

“Onde há desertificação, há seca e pobreza.

São peças da mesma engrenagem dramática de sufoco das potencialidades dos ecossistemas”, disse.

Landim também defendeu a aprovação da PEC 115/95, que considera o Cerrado e a Caatinga patrimônios nacionais.

Paes Landim destacou ainda que, por meio de emenda conjunta apresentada por ele e demais parlamentares há cerca de quatro anos, foram garantidos recursos para a criação do Núcleo de Estados sobre a Desertificação em Gilbués, o município piauiente mais devastado do Brasil pela desertificação.

“Infelizmente, o núcleo construído foi entregue ao estado, e não vejo da parte do secretário de Meio Ambiente a necessária sensibilidade para conduzir projeto dessa natureza”, criticou.

Fonte: Jornal da Câmara