Paes Landim pede que governo Lula crie mais universidades no Piauí

PTB Notícias 1/04/2008, 7:58


O deputado federal Paes Landim (PTB-PI) analisou no Plenário da Câmara as ações do Ministério da Educação no Piauí.

Ele afirmou que considera equivocadas as decisões do Executivo de não incluir o Piauí na política de expansão universitária.

Apesar da crítica, Landim elogiou as ações relacionadas ao ensino técnico.

Segundo o deputado petebista, apesar de outros estados da União terem inúmeras universidades, de onde saem as elites intelectuais, o Piauí tem apenas uma.

O parlamentar lembrou que vem insistindo para que a região do Parnaíba tenha uma universidade federal, pois já conta com um campus avançado, onde foram criados recentemente seis novos cursos.

Ele acrescentou ainda que esperava a criação da Escola de Medicina Federal da Parnaíba, o que não aconteceu em decorrência da limitação de recursos.

“Mas isso poderia ser superado por recursos suplementares”, argumentou.

Paes Landim afirmou que também deve haver uma política diferenciada com relação à Universidade Federal do Vale do São Francisco, voltada para o semiárido.

Ele afirmou que a expansão nessa instituição também foi muito limitada.

O deputado afirmou que, além da pesquisa arqueológica, é importante investir em geociência, história e antropologia.

Trabalho exemplar Com relação aos centros federais de tecnologia, o parlamentar afirmou porém que o trabalho desenvolvido pelo ministério, inclusive no ensino superior, é exemplar.

“Oferecendo formação profissional, as escolas técnicas federais são exemplo para o mundo”, disse.

Ele lembrou que, em cinco anos, o Governo Lula criou mais Cefets do que em todo o período republicano.

Segundo Landim, o Cefet do Piauí, que fará 100 anos em breve, é a grande expressão do ensino em seu estado em termos de escola pública.

“Ele tem participado ativamente da história educacional do País, mediante a formação profissional e técnica de jovens e adultos para atuarem no mercado de trabalho”, disse.

Ele afirmou que a formação atinge as áreas de gestão, construção civil, informática, indústria e meio ambiente, sempre a partir de habilidades e competências individuais.

fonte: Jornal da Câmara