Pagot: “Serys Slhessarenko será a grande aposta do PTB-MT este ano”

PTB Notícias 25/01/2014, 9:15


À frente das conversas partidárias para definir o rumo do PTB-MT, Luiz Antônio Pagot, ex-diretor geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), afirma que a prioridade neste momento é aumentar o número de filiados para garantir apoio a candidatura ao Senado de Serys Slhessarenko nas eleições de outubro.

Conforme Pagot, o PTB montou uma estratégia de agregar lideranças de diversos segmentos sociais em regiões espalhadas por Mato Grosso para ter força política numa disputa majoritária.

“O PTB está trabalhando no sentido de cumprir visitas regionais.

Estamos cuidando neste momento do Vale do Araguaia e depois nos deslocaremos ao Sul e Nortão do Estado”.

A disposição do PTB em ser protagonista do processo eleitoral de 2014 faz parte de uma estratégia para conseguir resultados ao longo prazo e tornar-se uma legenda mais fortalecida em Mato Grosso.

“A Serys Slhessarenko tem um perfil de lutar pela melhoria nos municípios.

É a militante adequada para mobilizar a militância a se engajar em uma campanha eleitoral.

A partir daí, tenho certeza que em 2016 conseguiremos aumentar ainda mais a representatividade em termos de vereadores e prefeitos.

Por isso, o projeto da Serys é nossa prioridade neste momento”, destaca.

O PTB também assedia o conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado), Antônio Joaquim, que tem sinalizado com a possibilidade de renunciar ao cargo vitalício para concorrer ao governo do Estado nas eleições de 2014.

O convite já foi feito pelo presidente do diretório estadual do PTB, ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo.

No entanto, outras conversas serão feitas no próximo mês para convencê-lo a assinar a ficha de filiação.

“O Galindo ficou de ter uma conversa com o Antônio Joaquim para considerá-lo como uma opção no grupo político para concorrer as eleições ao governo do Estado.

Mas, não há nada certo ainda.

Nossa opção ainda continua sendo a Serys ao Senado”.

Ex-deputada estadual, Serys foi eleita senadora da República pelo PT em 2002, quando de forma surpreendente derrotou o ex-governador Dante de Oliveira (já falecido), que concorreu pelo PSDB.

No entanto, em 2010, foi preterida pelo PT e não concorreu a reeleição para abrir espaço ao então deputado federal Carlos Abicalil, motivo este que levou a enfrentar até processo de expulsão e deixar a legenda petista após mais de 10 anos de filiação.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do portal Isso É Notícia