Painel destaca pedido de informações feito por Barbosa a Dilma Roussef

PTB Notícias 15/09/2007, 18:48


A coluna Painel, da jornalista Renata Lo Prete, publicada no jornal Folha de S.

Paulo deste sábado (15/9), destaca em seu espaço principal o pedido de informações protocolado pelo advogado petebista Luiz Francisco Barbosa, na sexta-feira, pedindo esclarecimentos sobre as providências tomadas pelo governo após as denúncias sobre a existência do mensalão feitas pelo Presidente do PTB, Roberto Jefferson, ao presidente Lula.

Jefferson explica que o objetivo do requerimento é identificar se houve ação ou omissão do governo, quando informado do crime do mensalão.

Leia abaixo a nota no Painel e o comentário do Presidente do PTB, Roberto Jefferson:Mínimos detalhes (Painel)O advogado do deputado cassado Roberto Jefferson, Luiz Francisco Barbosa, protocolou nesta sexta-feira (14/9) na Casa Civil um pedido de informações sobre as providências que a Presidência da República teria tomado depois do encontro, realizado em janeiro de 2005, no qual o presidente do PTB afirma ter relatado a Lula o esquema “de pagamentos periódicos a deputados da base aliada”, que veio a ser conhecido como mensalão.

Nas descrições que posteriormente fez de suas conversas com Lula, Jefferson disse que o presidente chorou e ficou de mandar averiguar o assunto.

O pedido de informações foi endereçado a Dilma Roussef com recomendações de urgência.

A ministra tem duas semanas para responder.

A ver (Blog do Jefferson)Meu advogado, Luiz Francisco Barbosa, protocolou na Casa Civil pedido de informação sobre providências tomadas pela Presidência da República depois do encontro que tive com Lula, em janeiro de 2005, quando falei do esquema de pagamentos periódicos feitos a deputados da base.

O objetivo é identificar se houve ação ou omissão do governo, quando informado do crime do mensalão.

Estou buscando a certidão para deixar isso claro.

Lula não pode alegar que não sabia.

Ouvir ele ouviu, porque contei.

Não sei se apurou.

Se não o fez, foi omisso.

Agência Trabalhista de Notícias