Para Mozarildo Cavalcanti, Amazônia não deve ser “santuário intocável”

PTB Notícias 30/04/2007, 19:41


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) posicionou-se no Plenário do Senado contra a idéia de que a Amazônia deve ser um “santuário intocável” para impedir o aquecimento global e destacou que a região possui potencial energético e deve ser explorada para proporcionar o crescimento local e do país.

– Temos energia [na região] para garantir auto-suficiência para o Brasil e minérios para saldar nossa dívida e algo mais.

No entanto, nada disso é explorado sob um falso e hipócrita pretexto de preservar a natureza e certas comunidades que não pediram para serem protegidas dessa forma – disse.

Em seu pronunciamento em Plenário, nesta sexta-feira (27), ele citou artigos do jornalista Luiz Carlos Azedo, no Correio Braziliense, e do cientista político Hélio Jaguaribe, na Folha de S.

Paulo sobre o tema, e criticou o documentário “Uma verdade inconveniente”, do ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore.

Para Mozarildo, o filme é uma bem elaborada peça de marketing que tenta impingir uma forma de freio aos países emergentes no rumo de seu desenvolvimento.

Mozarildo lembrou declaração de Al Gore na década passada – de que a Amazônia não é do Brasil, mas sim dos países que têm responsabilidade com o controle do meio ambiente – e demonstrou temor por uma suposta internacionalização da região.

– Vamos acordar antes que a Amazônia vire um Iraque.

Desculpa para invadi-la já existe – disse.

O senador condenou a posição de membros de organizações não-governamentais e de “supostos indigenistas” que, com sua atuação, acabam obtendo lucros nas reservas indígenas ou impedindo o desenvolvimento, muitas vezes contra a posição de seus moradores.

Também disse ser contra a cessão de extensos limites de terra em benefício de uma população indígena ínfima, e criticou a ação do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos na delimitação da Reserva Raposa Serra do Sol, que segundo oparlamentar, foi feita com base em documentos fraudados.

fonte: Agência Senado