Pastor Manoel Ferreira critica política de enfrentamento da polícia do Rio

PTB Notícias 24/10/2007, 8:05


O deputado federal Pastor Manoel Ferreira (PTB-RJ), em discurso no Plenário da Câmara, considerou preocupante a situação da segurança pública no Estado do Rio de Janeiro, que, segundo ele, se apóia em uma política de enfrentamento equivocada.

O deputado petebista citou em seu discurso a recente incursão da polícia na Favela da Coréia, quando 13 pessoas morreram, entre elas um policial e uma criança.

Pastor Manoel Ferreira sugeriu a adoção de uma política de inteligência, que possibilite operações mais equilibradas para barrar a entrada das drogas e evitar que cheguem às mãos dos bandidos.

“Tive oportunidade de iniciar uma conversar com o governador Sérgio Cabral no sentido de poder oferecer alguma colaboração.

Infelizmente, no início de nossa conversa ele já me cortou dizendo que bandido se enfrenta é com bala.

Que bandido não tem nada o que perder.

Se 10 bandidos são mortos essa noite, amanhã aparecerão 50.

Eles são como ratos.

Será que não seria melhor procurarmos uma política de inteligência? O Rio de Janeiro não fabrica drogas nem armas pesadas.

Elas entram por outros lugares.

Não seria, então, melhor uma política de inteligência para barrar a entrada dessas drogas e evitar que cheguem às mãos dos bandidos nessas favelas? A verdade é que já foi tomado esse caminho e o que temos diariamente são dezenas de óbitos”, lamentou o deputado do PTB do Rio de Janeiro.

O deputado petebista finalizou seu discurso afirmando que o Estado está perdendo em violência apenas para o Iraque, mesmo sem ter uma guerra militar no Rio de Janeiro.

“E olhe lá! A continuar como está, a tendência é piorar.

Bandido não tem o que perder.

Quem tem o que perder é o povo do Rio de Janeiro, o povo que mora naquelas favelas, nos morros.

Temos o que perder nós que moramos no Rio de Janeiro”, completou Pastor Manoel Ferreira.

Agência Trabalhista de Notícias