Pastor Manoel Ferreira defende mudança em vôos para resolver crise

PTB Notícias 23/08/2007, 11:11


A crise desencadeada pelos desastres com os aviões da Gol e da TAM, que vitimaram 357 pessoas, tornou evidente que a infra-estrutura aeroportuária do país encontra-se à beira de um colapso e que soluções devem ser encontradas urgentemente.

A observação foi feita em Plenário pelo deputado Pastor Manoel Ferreira, do PTB do Rio de Janeiro.

Parte da solução, segundo ele, deve passar pelo redirecionamento de vôos para aproveitar a capacidade ociosa de aeroportos menos movimentados, como o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (antigo Galeão), no Rio de Janeiro.

A sugestão foi feita porque, de acordo com o deputado petebista, os investimentos necessários para descongestionar os terminais esbarram na falta de orçamento.

“A Infraero estima a necessidade de aplicação, agora, de cerca de R$ 5 bilhões”, disse Ferreira, ressaltando que não existe disponibilidade de recursos desse porte no orçamento federal.

Diante disso, é mais prudente analisar a malha atual e desviar o fluxo de vôos, desafogando os aeroportos onde o tráfego chegou ao limite, como Congonhas (SP), Guarulhos (SP) e Brasília.

O parlamentar do PTB do Rio de Janeiro também fez outra ressalva sobre a necessidade de mais investimentos na área.

De acordo com ele, o que está sendo projetado pelo governo para reduzir a pressão sobre os aeroportos só vai resolver o problema no curto prazo.

Manoel Ferreira usou como exemplo o aeroporto de Brasília.

Segundo ele, a ampliação do terminal e das salas de embarque, orçada em R$ 149 milhões, elevará a capacidade do aeroporto dos 7,4 milhões atuais para 11 milhões de passageiros.

No entanto, a demanda projetada para 2010 é de 14,6 milhões de passageiros.

Situação similar ocorre com Congonhas.

“Para que tamanhos investimentos se de antemão prevê-se uma obsolescência quase que imediata?”, questionou o deputado.

“Não seria o redirecionamento uma perspectiva mais coerente, atendendo, ao mesmo tempo as exigências de segurança e níveis de qualidade na prestação de serviços aéreos?”, concluiu Pastor Manoel Ferreira.

O deputado elogiou o ministro da Defesa, Nelson Jobim, por apresentar propostas de redirecionamento de vôos, principalmente em relação ao aeroporto Tom Jobim, que terá uma participação maior na malha aérea.

Ferreira salientou que esse terminal opera apenas com 59% da sua capacidade, o que o torna ideal como uma solução de curto prazo eficiente e de baixo custo financeiro.

“Segundo a própria Infraero, o aeroporto é capaz de absorver seis milhões de passageiros agora, imediatamente, sem grandes investimentos.

Considere-se ainda o fato de que 40% das instalações do aeroporto não estão sendo utilizadas.

Estão jogadas às traças”, disse o deputado, que destacou também a qualidade da pista do terminal carioca, que é a maior do País.

fonte: Jornal da Câmara