Paulo Bengtson quer buscar mais recursos para Rede Sarah

Agência Trabalhista de Notícias - 18/02/2019, 8:31

Crédito: Divulgação

Imagem

Os secretários municipais de saúde do Pará têm de se espelhar no modelo de gestão adotado pela Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação (RSHR). A afirmação é do deputado Paulo Bengtson (PTB-PA), que se reuniu, na quinta-feira (14) com a diretora-executiva Célia Corrêa na sede da instituição, em Brasília.

No encontro, o parlamentar conheceu o modelo de gestão adotado na rede e demonstrou interesse em intermediar o acesso de administradores das unidades paraenses ao programa de formação e capacitação oferecido pela RSHR.

“A Rede Sarah é referência em reabilitação no Brasil e no mundo, provando que o sistema público funciona quando bem gerido. Vim conhecer o modelo, parabenizar os profissionais pelo sucesso e entender como podemos ajudar a manter esse padrão de excelência nas unidades, inclusive na de Belém”, informou Bengtson.

Investimentos

Entusiasmado com as boas práticas administrativas e com os números apresentados por Célia Corrêa, o deputado afirmou que vai se empenhar na captação de investimentos para a instituição.

“Durante o meu mandato, buscarei emendas junto aos parlamentares do Pará no Congresso Nacional, e, na próxima semana, apresentarei os dados do ‘Relatório Sarah 2018’ aos meus colegas do PTB”, afirmou.

A eficiência dos hospitais geridos pela Associação das Pioneiras Sociais (APS) que animou Paulo Bengtson é atribuída pela diretora-executiva à dedicação exclusiva dos funcionários.

De acordo com Célia Corrêa, o paciente da Rede Sarah “cria vínculo, porque é sempre acompanhado pelo mesmo profissional, o que não ocorre nos sistemas que não exigem exclusividade de seus colaboradores”.

Recursos humanos

Os recursos humanos são tratados como investimentos estratégicos pela direção geral da instituição. Em 2018, a entidade empregou 80,3% do seu orçamento total, cerca de R$ 1,1 bilhão, em despesas de pessoal, incluindo remunerações, benefícios e encargos sociais e trabalhistas.

Além da sede em Brasília, a rede mantém outra unidade funcionando na capital federal, no Lago Norte, e hospitais em Belém (PA), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Macapá (AP), São Luís (MA), Salvador (BS) e Fortaleza (CE).

Com informações da assessoria do deputado Paulo Bengtson (PTB-PA)