Paulo Frange quer aprimorar o combate à dengue na cidade de São Paulo

PTB Notícias 25/03/2015, 16:10


Durante a sessão plenária de terça-feira (24/3/2015), na Câmara Municipal de São Paulo, o vereador Paulo Frange (PTB-SP) falou da importância da capital paulista aprimorar as ações de combate contra a dengue e disse que pretende apresentar um projeto à prefeitura que inclui o controle e monitoramento dos viveiros dos mosquitos Aedes aegypti, transmissores da doença.

Segundo dados do Ministério da Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde, já foram registrados 200 mil casos de dengue no país.

Desses, 123 mil são no Estado de São Paulo.

Nos dois primeiros meses do ano, 1.

883 casos foram contraídos no município de São Paulo, número três vezes maior que os de 2014.

Para Frange, a crise hídrica que ocasiona o armazenamento irregular de água nas casas é um dos motivos para o crescimento dos viveiros onde o mosquito se reproduz.

“O número da pesquisa em bairros que são abastecidos pelo sistema Cantareira e tem o armazenamento irregular de água em baldes e caixas d”água mostrou um aumento de 248% das larvas nos baldes e 150% nas caixas d”água.

Nós não encontramos essas larvas nas caixas tampadas, portanto não há dúvida de que isso é um elemento extremamente importante para o combate à dengue, daí a importância de chamarmos a atenção da administração pública para isso”, disse.

Sobre o projeto, o vereador petebista disse que pretende trazer uma pesquisa de controle populacional dos mosquitos desenvolvida pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para aprimorar as ações na capital.

“Nós temos um Programa Nacional de Combate à dengue de 2008 e tem que ser aprimorado.

Estamos buscando agora trazer para cidade uma pesquisa que já foi feita há muito tempo e desde 1998 dá certo no Brasil.

É o acompanhamento biológico do mosquito transmissor da dengue.

Por que hoje nós fazemos o acompanhamento da dengue pelo número de pessoas contaminadas; o programa identifica a presença do mosquito antes dele contaminar as pessoas, acompanhando o ciclo biológico.

Se trata de uma armadilha onde a fêmea é atraída por um produto derivado de sangue”, explicou.

“Esse monitoramento hoje já esta instalado em cidades que tiveram sucesso, como Santos, Vitória, Porto Alegre e até para a Austrália estão exportando esse programa.

Há um número muito grande de cidades, são 50, onde já esta sendo controlado e tendo uma redução drástica do número de casos de dengue”, concluiu Paulo Frange.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Câmara Municipal de São PauloFoto: Divulgação