Paulo protesta contra exclusão de academias populares do Orçamento Geral

PTB Notícias 25/08/2015, 7:40


Uma comissão de vereadores deve ser formada na Câmara Municipal de Teresina (PI) para tratar diretamente com a Prefeitura de Teresina sobre a exclusão das academias populares do Orçamento Geral do Município.

O diálogo foi proposto pelo vereador Paulo Roberto da Iluminação (PTB), que usou a tribuna da Casa legislativa para protestar contra a medida, que, segundo o parlamentar, foi tomada pelo Poder Executivo de forma intransigente.

A Prefeitura de Teresina anunciou que pretende substituir as academias populares pelo Programa Academia da Saúde, do Governo Federal.

Paulo Roberto, no entanto, considera que o ideal seria manter os dois tipos de academia, e ressalta que esse novo projeto não acarretará praticamente nenhum impacto financeiro ao município, uma vez que contará com recursos do Ministério da Saúde.

“Nós andamos nos bairros, nas comunidades e recebemos inúmeras solicitações de novas academias populares.

Mas este mês, quando fomos destinar recursos de nossas emendas para essas academias, não havia mais a opção, porque a Semel expediu um parecer técnico sugerindo a retirada das academias populares, inclusive do Orçamento Popular.

O problema é que, enquanto as academias populares custam apenas R$ 26 mil, as academias de saúde custam R$ 126 mil.

É um montante considerável, sobretudo se levarmos em conta que o vereador pode destinar apenas R$ 671 mil em emendas ao Orçamento do Município, por ano.

Como é que você vai destinar R$ 126 mil só para uma academia? Com R$ 260 mil era possível atender dez comunidades com academias populares.

Agora, com esse novo modelo, é possível atender apenas duas”, questiona.

De acordo com o vereador, a recomendação da Semel ocorreu porque as academias de saúde possuem uma melhor estrutura para atender a população, dispondo de profissionais especializados, como educadores físicos e nutricionistas.

“Já que é necessário haver um profissional para acompanhar as pessoas, a Prefeitura poderia manter as academias populares e fazer parcerias com as universidades para que os estudantes dos últimos períodos possam estagiar nesses locais”, argumenta o vereador.

Paulo Roberto também critica o fato de a Prefeitura ter retirado as academias populares sem consultar as lideranças comunitárias que participam da elaboração do Orçamento Popular.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Câmara Municipal de Teresina Foto: Divulgação/Assessoria