Paulo Roberto cobra equiparação do reajuste da aposentadoria ao do salário

PTB Notícias 28/06/2009, 16:43


A inclusão, na pauta de votação do Plenário, do Projeto de Lei 1/07, do Executivo, que estabelece uma política permanente de valorização real do salário mínimo foi defendida pelo deputado Paulo Roberto Pereira (PTB-RS).

Ele também destacou a necessidade de aprovação da emenda do Senado que atrela os reajustes de aposentadorias e pensões aos reajustes do salário mínimo.

Paulo Roberto Pereira convocou todos os parlamentares a lutar em defesa dos trabalhadores e dos aposentados, e também pela extinção do fator previdenciário.

O deputado mencionou que, no recente 7º Seminário de Aposentados e Pensionistas do Rio Grande do Sul, uma das perguntas mais frequentes foi quando seria votado o PL 1/07.

“O presidente desta Casa assumiu recentemente esse compromisso com os aposentados, em sessão solene na Câmara”, lembrou o deputado.

Ele elogiou a dedicação do deputado Odair Cunha (PT-MG), que fez um requerimento para a inclusão do projeto na pauta.

Segundo o parlamentar, a maioria dos partidos é a favor da proposta.

“Acredito até que todos serão unânimes em fazer justiça no País”, previu Paulo Roberto Pereira.

O PTB, destacou o deputado, tem esse compromisso com os aposentados.

Pesca profissional – Paulo Roberto Pereira defendeu também o Projeto de Lei 2.

871/08, de sua autoria, que regulamenta a carteira profissional dos pescadores.

Ele ressaltou que o projeto é o resultado de inúmeras reuniões com a Federação dos Pescadores do Rio Grande do Sul, com a colaboração das colônias de pescadores.

“Todas as categorias são regulamentadas por projeto aprovado nesta Casa”, lembrou o deputado, pedindo o mesmo tratamento para o pescador.

Ele citou o exemplo do bacharel em Direito, que “sem a carteirinha da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) não é considerado advogado”.

A mesma coisa, acrescentou, se dá com o corretor de imóvel, com o engenheiro, com o arquiteto.

Paulo Roberto classificou de “um equívoco” o tratamento que a Comissão de Agricultura está dando ao seu projeto.

Segundo ele, a votação foi suspensa, em razão de um voto em separado, oriundo da bancada do PT, pela rejeição do projeto.

De acordo com o PT, caberá à Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca regulamentar as carteiras dos pescadores, por portaria.

O deputado Paulo Roberto não concorda: “A insegurança jurídica da categoria vai continuar, porque ela clama para que as carteiras não sejam provisórias”, disse o deputado.

fonte: Jornal do Senado