Paulo Roberto quer explicação sobre aditivos feitos ao orçamento de ponte

PTB Notícias 13/08/2015, 8:12


Em pronunciamento na Câmara Municipal de Teresina (PI), na quarta-feira (12/8/2015), o vereador Paulo Roberto (PTB) cobrou da prefeitura a agilização de uma série de obras que estão sendo executadas em “ritmo lento” ou que se encontram paralisadas.

O parlamentar, que integra a oposição ao prefeito Firmino Filho (PSDB), citou o caso da Ponte Anselmo Dias, que vai interligar as zonas sul e sudeste da capital piauiense, por meio da Avenida Industrial Gil Martins (bairro Três Andares) e da Avenida José Francisco de Almeida Neto (bairro Dirceu).

Paulo Roberto anunciou que vai solicitar a presença, na Câmara, de gestores da Superintendência de Desenvolvimento Urbano da região Sudeste (SDU Sudeste) para explicarem o atraso na obra e o porquê da realização de aditivos ao orçamento inicial, que estão tornando a empreitada ainda mais cara para os cofres públicos.

“Na gestão anterior os recursos ficaram viabilizados, foi feita a licitação, a empresa vencedora iniciou a obra, mas na atual gestão essa construtora solicitou um aditivo de R$ 3 milhões, que já foi concedido.

Agora, nós estamos pedindo que a prefeitura apresente a cópia da documentação do aditivo e queremos saber a justificativa para esse sobrepreço, tendo em vista que a obra mal foi iniciada.

Inclusive, a empresa está prestes a solicitar outro aditivo de R$ 2,5 milhões”, reclamou o vereador.

Paulo Roberto pretende apresentar um projeto de lei para tornar obrigatório que a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) seja observada à risca tanto na fase de elaboração do orçamento quanto na execução da obra.

Desta forma, segundo o parlamentar, haveria um maior controle sobre os aditivos, que passariam a ser solicitados apenas em casos excepcionais e com uma rigorosa justificativa.

Paulo Roberto também protestou contra a paralisação das obras nos bairros Alto da Ressurreição e Frei Damião, na zona sudeste de Teresina.

“Na gestão Elmano Férrer (PTB) foram liberados R$ 23 milhões para calçamento, habitação e construção de escolas nesses bairros.

As obras foram iniciadas, mas agora estão paralisadas há mais de três meses.

A prefeitura precisa dar uma satisfação aos moradores”, concluiu o vereador.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Câmara Municipal de TeresinaFoto: Divulgação