Pedro Fernandes se mostra desencantado com Roseana

PTB Notícias 21/06/2006, 18:26


O deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA) quebrou ontem o silêncio durante entrevista coletiva e revelou estar desencantado com a senadora Roseana Sarney (PFL).

Fernandes disse que resolveu romper com o silêncio que alimentou durante quase uma semana para apresentar sua versão sobre a implosão de sua candidatura a vice-governador e confirmar que é candidato à reeleição em outubro a uma vaga na Câmara Federal.

Irmão do deputado estadual Manoel Ribeiro, presidente estadual do PTB, Pedro Fernandes disse que foi usado como bucha de canhão pelo grupo Sarney.

Segundo esclareceu, o grupo utilizou seu nome para combater em um primeiro momento a candidatura iminente de Cafeteira para o Senado.

“Fui usado de maneira sórdida pelo grupo Sarney”, desabafou.

A candidatura de Epitácio Cafeteira (PTB-MA) ao Senado agora vem sendo anunciado como algo já certo pelo grupo Sarney.

Cafeteira, reiteradas vezes, tem afirmado que concorrerá a uma vaga na Câmara dos Deputados.

O ex-senador vislumbra como prioritária a eleição de sua filha Janaína Cafeteira à Assembléia Legislativa.

De acordo com Pedro Fernandes, os sinais do desgaste de sua candidatura como vice-governador começaram a surgir a partir de manchetes plantadas nos meios de comunicação alinhados com o grupo Sarney que o colocavam em baixa avaliação no sul do estado, especialmente em Imperatriz.

Ele aponta como ardiloso o argumento, já que além de ter desempenhado função preponderante no desenvolvimento da cidade durante décadas, quando foi gerente de banco, apoiou desde o primeiro momento o projeto do deputado Sebastião Madeira de criação do Maranhão do Sul.

Fernandes apontou a senadora como detentora do posto de “caroneira” no projeto.

ACORDO COM TUCANOSDisposto a tudo para afastar o PTB da coligação que apóia a pré-candidatura da senadora Roseana Sarney, Fernandes vem mantendo conversações com delegados do partido, que realiza convenção dia 30 de junho.

Da reunião realizada na segunda-feira pela manhã com o presidente estadual do PSDB, deputado federal Sebastião Madeira, Fernandes disse não ter emergido nenhuma definição sobre uma aliança entre tucanos e petebistas, mas enxerga grandes possibilidades de isso vir a acontecer.

O PSDB não se pronunciou ainda sobre o assunto.

Durante a coletiva o deputado relembrou que em 8 de janeiro deste ano lançou o nome de Cafeteira a senador pelo PTB.

Na época, Cafeteira apontou para a vaga de vice na coligação do PTB com o PFL, o nome de um sobrinho seu, Rogério Lima.

Fernandes contou que o convite para compor a chapa de Roseana foi feito pelo próprio senador José Sarney (PMDB-AP), em Brasília, no dia 15 de maio.

No mesmo dia havia recebido um telefonema de Cafeteira fazendo perguntas e avisando que viria ao Maranhão lançar candidatura a deputado federal.

Sarney teria dito que o senador João Alberto (PMDB) não aceitaria disputar outra candidatura senão ao Senado.

Pedro Fernandes não confirmou, mas disse não estranhar que haja tentativa do senador José Sarney em interferir na decisão partidária através do diretório nacional.

“Eles podem muito, mas não podem tudo”, desafiou o deputado.

Diante do novo espectro político apresentado, Pedro Fernandes acredita que o PTB sairá vitorioso no pleito de outubro.

Embora considere que a decisão de Manoel Ribeiro só será emitida após cautelosa análise.

Leque de negociaçãoDesde que foi defenestrado do posto de vice, Pedro Fernandes abriu um amplo leque de negociações.

Na noite de segunda-feira conversou por telefone com o pré-candidato do PDT, o ex-prefeito de São Luís, Jackson Lago.

Disse também que cumprimentou o governador José Reinaldo Tavares (PSB) na noite de sexta-feira passada, mas negou que tenham mantido conversas políticas com o dirigente estadual.

Fernandes afirmou categoricamente que não estará no palanque do PFL, independente de qualquer decisão do seu partido.

Ressaltou as centenas de reuniões que teve com lideranças partidárias no interior do estado nas quais levou o nome da senadora e na nova postura adotada.

“Podem levar o partido, mas não me levarão.

Estou desencantado com a candidatura (de Roseana).

Espero que o Maranhão também se desencante “, disse o deputado.

Jornal O Imparcial – MA