Pernambuco é referência em investimentos em ensino técnico, diz Armando

PTB Notícias 16/10/2011, 10:12


O senador Armando Monteiro destacou no plenário do Senado Federal os principais desafios do sistema educacional brasileiro e citou Pernambuco como referência de investimentos positivos no ensino técnico.

Em seu pronunciamento o parlamentar também falou sobre a necessidade de “um salto de qualidade” em todos os níveis, principalmente no ensino médio.

Nos últimos anos o Brasil foi o terceiro país que mais evoluiu no exame Pisa – que avalia os conhecimentos adquiridos por estudantes de 15 anos em várias partes do mundo.

Porém, na sua avaliação, o mesmo não pode ser dito em relação ao ensino médio.

“O Brasil acumulou um atraso nessa área”, disse.

Para Armando Monteiro, a desconexão entre o ensino médio e o técnico desencadeia graves problemas no sistema educacional brasileiro.

“Isso se traduz numa certa compreensão de que o ensino médio é uma mera etapa de passagem, quando na realidade poderia e deveria ter um caráter terminativo, propiciando já a inclusão desse jovem no mercado de trabalho e contribuindo para que a sociedade pudesse ter um retorno mais rápido desse ciclo longo de investimentos”, ponderou.

O senador alertou para a necessidade de superar um modelo de formação “generalista”, diversificando os conteúdos e dando oportunidades para profissionalização e no aumento de matrículas na educação profissional de nível médio.

Mesmo o cenário atual estando abaixo do ideal, Armando Monteiro reconhece que o Brasil vive um momento positivo na área.

“É preciso reconhecer que, atualmente, estamos vivendo um período de expansão, após décadas de atraso, do ensino técnico.

Em 93 anos, num período que vai de 1909 a 2002, o Brasil construiu apenas 140 escolas profissionalizantes”, lembrou.

O exemplo de Pernambuco – Em recente matéria publicada pelo jornal O GLOBO, sobre o sistema educacional brasileiro, duas instituições de Pernambuco foram consideradas centros de excelência.

Para Armando Monteiro, os bons exemplos do país precisam ser ressaltados.

Neste caso, o orgulho tem um motivo especial por serem entidades do seu Estado – a Escola Técnica Federal de Pernambuco, transformada em Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, e a Escola Técnica Estadual Agamenon Magalhães.

“É importante destacar que o Instituto Federal de Pernambuco ganhou notoriedade e apoio de grandes empresas nacionais por ensinar empreendedorismo.

Já a Escola Técnica Agamenon Magalhães se destaca pela imensa capacidade de colocação dos seus estudantes no mercado de trabalho, oferecendo cursos em absoluta sintonia com as demandas que estão em expansão no mercado de trabalho.

Por essa razão, recebeu o Prêmio Nacional do Educador, conferido pela Microsoft”, explicou.

O senador ressaltou também o empenho do governador Eduardo Campos que vem desenvolvendo diversos projetos nessa área.

“Em seu primeiro mandato, o número de escolas técnicas mais que dobrou.

Em 2007 eram seis unidades, hoje são 14.

Em 2006, havia 1.

748 alunos, hoje são 13 mil estudantes”, relembrou Armando Monteiro que apontou também as metas do plano de expansão do governo do estado que prevê 23 escolas técnicas até 2012 e 60 escolas até 2014, disponibilizando mais de 45 mil vagas.

Para Armando Monteiro,”esses números, sem nenhuma dúvida, atestam de maneira eloquente o esforço que o estado de Pernambuco vem realizando em articulação com o governo federal”.

fonte: site do senador Armando Monteiro (PTB – PE)