Pesquisa indica que Kelly Moraes lidera corrida pela Prefeitura de St Cruz

PTB Notícias 18/06/2012, 7:23


A segunda pesquisa oficial de intenção de votos para a Prefeitura de Santa Cruz do Sul (RS) comprovou o favoritismo do grupo da situação.

A pouco mais de 15 dias do começo da campanha e com um quadro eleitoral ainda incerto por conta da indefinição em torno do indicado pelo bloco de oposição, a pré-candidata à reeleição Kelly Moraes (PTB) segue isolada na liderança e com larga vantagem sobre os possíveis adversários.

Por outro lado, o ex-deputado federal Telmo Kirst (PP), um dos mais cotados para enfrentar a prefeita nas urnas, mostrou crescimento em relação ao levantamento anterior.

A pedido da Gazeta do Sul, o Instituto Methodus ouviu, entre os dias 11 e 12 deste mês, 350 eleitores com idades igual ou superior a 18 anos e de diversas classes sociais e níveis de escolaridade.

A margem de erro é de 5,3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Foram estimulados três cenários, com base no avanço das negociações entre os partidos.

Pela primeira vez, além das cabeças de chapas, foram incluídos os possíveis candidatos a vice.

Em todos os cenários, a dobradinha Kelly/Luiz Augusto Campis (PT), vitoriosa nas eleições de 2008, aparece na frente.

A diferença, porém, varia de acordo com o alinhamento dos adversários.

O melhor desempenho da oposição ocorre quando há duas chapas contra a dupla Kelly/Campis, e não três.

Porém, é justamente nesse cenário que a situação consegue seu maior percentual, aumentando também o número de votos brancos/nulos e de eleitores que não sabem em quem votar.

No primeiro cenário, Kelly e Campis enfrentam uma chapa pura do PP, formada por Kirst e a ex-prefeita Helena Hermany, e outra do PMDB, formada pelo deputado estadual Edson Brum e o empresário Alex Knak, uma das principais lideranças do diretório e reconhecido pela sua identificação com o público jovem.

Também foi incluída a chapa do PSTU, encabeçada por Afonso Schwengber e com Silvério Stölben como vice – a mesma composição que ficou em quarto lugar em 2008.

Neste caso, a situação atingiria 45,1% dos votos, enquanto Kirst e Helena receberiam 23,7%.

Brum e Knak ficariam com 10,3% e Schwengber e Stölben com 2%, enquanto indecisos e brancos e nulos somariam 9,4% cada um.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal GAZ