Pesquisa mostra o índice de aprovação de Madalena Britto, de Arcoverde

PTB Notícias 29/07/2013, 7:58


Pesquisa do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), aponta que os seis primeiros meses de gestão da prefeita de Arcoverde (PE), Madalena Britto (PTB), têm aprovação de 69% da população, enquanto 20% desaprovam e 11% disseram que não sabiam avaliar ou não responderam.

O levantamento foi a campo entre os dias 20, 21 e 22 deste mês, num universo de 400 eleitores.

A margem de erro é de 4,1 pontos percentuais para mais ou para menos.

A trabalhista tem seus melhores percentuais entre os eleitores do sexo feminino (71,2%), entre os que estão na faixa etária acima de 60 anos (74,3%), entre os eleitores jovens, de 16 a 24 anos (77,5%), e entre os habitantes da zona rural (69,5%).

Já seus maiores índices de desaprovação estão entre os eleitores na faixa etária de 25 a 34 anos (23,7%) e entre os eleitores da zona urbana (19,8%).

Entre os que aprovam, 12% disseram que estão satisfeitos porque a prefeita faz um bom trabalho e é dedicada, 6,9% afirmaram que ela está trabalhando muito e 2,9% revelaram que está dando continuidade às melhorias implementadas no município.

Já entre os que estão insatisfeitos, 11,3% disseram que nada fez ainda pelo município.

Para 21,3%, a prefeita tem um bom desempenho na função e 39,4% consideram ótimo.

Entre os que julgam regular são 24,5% e apenas 7,5% julgam ruim e 4,5% péssimo.

O Instituto Opinião quis saber ainda o nível de satisfação da população.

Para 55,1% dos entrevistados, a satisfação em morar na cidade com a gestão de Madalena está aumentando e 39,3% disseram que continua igual, enquanto apenas 4,8% afirmaram que está diminuindo.

Já entre os que acham que a cidade está andando para frente são 68,4% e 25,3% dizem que está parada, enquanto 3,3% acham que anda para trás.

A população de Arcoverde está também muito otimista em relação à gestão de Madalena.

Para 84,4%, o município tende a melhorar, 11,3% disseram que ficará como está e 5,3% afirmaram que vai piorar.

Quanto aos serviços, o maior problema apontado é a saúde com 50,7% das citações, seguido pelo desemprego com 22,8% e falta de saneamento 10,3%.

Para 59,1% dos entrevistados, a prefeita está atendendo e resolvendo os problemas do município parcialmente, enquanto 5,8% acham que resolve totalmente e 29,3% disseram que não.

Quando questionados sobre pontos que gostariam que a prefeita atacasse, 31,7% dos leitores apontaram melhorias na saúde, 23,5% geração de empregos e 13% melhoria no abastecimento de água.

MetodologiaA modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação.

Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

As entrevistas foram realizadas por uma equipe de entrevistadores, devidamente treinada para abordagem desse tipo de público, supervisionada pelo coordenador de campo da Opinião – Pesquisas Sociais Ltda.

As entrevistas foram realizadas nos seguintes bairros: Boa Esperança, Boa Vista, Centro, Cidade Jardim, COHAB I e II, JK, Pôr do Sol, Santa Luzia, São Cristóvão, São Geraldo, São Miguel, Sucupira I e II e Tamboril.

E com os moradores da zona rural foram realizadas nas seguintes localidades: Caraíbas, Ipojuca e Riacho do Meio.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal do Sertão