Petebista pede criação de Casa-Abrigo para vítimas de violência em TO

PTB Notícias 27/11/2007, 12:08


O deputado estadual e presidente do PTB de Tocantins, José Geraldo, apresentou na sessão desta terça-feira (27/11) um requerimento que solicita do governo estadual, a construção de uma casa-abrigo para as mulheres vítimas de violência, na cidade de Paraíso do Tocantins.

Segundo o parlamentar a instalação das casas são fundamentais para fortalecer o combate à violência, tendo em vista as estatísticas que comprovam que a maioria dos atos violentos ocorrem dentro do próprio lar.

“A cada 15 segundos, uma brasileira é vítima de violência.

Isso é um dado assustador”, disse o petebista.

O deputado lembrou que, em muitos casos, as mulheres não têm apoio para sair de casa e continuam sofrendo agressões.

“As vítimas ficam sem ter para onde ir e não denunciam os agressores.

O espaço do lar, que deveria ser resguardado e seguro, é potencialmente violento para mulheres, adolescentes e crianças”, argumentou.

Fazendo referência ao Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher, comemorado no último domingo, o parlamentar afirmou que são necessárias a implementação de políticas públicas para coibir esse tipo de violência, e o abrigo é uma forma de oferecer o apoio psicológico e o acompanhamento jurídico das vítimas.

Segundo José Geraldo, durante a permanência na casa, as mulheres participarão de grupos de interação e reflexão, onde terão a oportunidade de trocar experiências e refletir sobre a violência.

Ele, ainda, defende que sejam disponibilizadas atividades educativas e culturais.

“No grupo de saúde da mulher terão noções de preservação da saúde e de higiene pessoal e de toda a família, além de noções de direito e deveres jurídicos”.

O autor da proposta também ressaltou a importância de um trabalho de acompanhamento dos filhos com atividades terapêuticas e recreativas.

“Mesmo que voltem com o companheiro ou passem a viver com outro de perfil semelhante, elas terão conhecimentos de seus direitos, maior auto-estima e o vínculo fortalecido com os filhos”, finalizou.

Agência Trabalhista de Notícias