Petebistas expressam suas opiniões sobre a continuidade da CPMF

PTB Notícias 28/11/2007, 14:21


Diversos petebistas que participaram da Reunião da Comissão Executiva Nacional do PTB, que aconteceu nesta terça-feira (28/11), em Brasília, expressaram seus posicionamentos sobre a continuidade da CPMF.

A reunião foi convocada para discutir o posicionamento do partido sobre a prorrogação do imposto e para emitir uma nota de desagravo ao senador Mozarildo Cavalcanti, por seu afastamento da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, após informar que votaria contra a prorrogação da CPMF.

De acordo com Carlos Dias (RJ), segundo-secretário de Comunicação, o País está atualmente navegando em um cenário extremamente positivo.

“O nosso problema não é de arrecadação, é de governo.

Não temos um gestor competente”, afirmou.

Para Jussara Silva, o Brasil não precisa mais da CPMF, pois a arrecadação do PIB é muito maior do que o imposto.

“Então, temos que nos posicionar a favor do povo brasileiro, pois o ele não quer mais a CPMF.

Precisamos é dar dignidade e emprego para o povo, pois o Bolsa Família não pode ser uma coisa eterna”, enfatizou a petebista.

Já para o presidente do PTB de Tocantins, deputado estadual José Geraldo, o senador Mozarildo Cavalcanti (RR) engrandeceu o PTB e honrou sua bandeira ao posicionar-se contra a CPMF e ao rebelar-se por seu afastamento da CCJ: “Ele mostrou que é possível ter posição mesmo estando na base aliada.

O que está faltando em nosso País é mais homens e mulheres com coragem de romper com os interesses para engrandecer o País”.

De acordo com José Geraldo, quando a carga tributária é alta, o povo busca um jeito de sonegar, então o melhor caminho é gastar melhor o que já se tem.

“Precisamos diminuir os ralos e investir em educação, para que o povo possa entender o contexto em que estamos inseridos.

Esse governo populista quer é prender o povo dentro de uma cerca.

Não é com assistencialismo que iremos construir uma grande nação.

Ao acabar com a CPMF, poderemos abrir espaço para a discussão de uma matriz tributária mais justa”, finalizou o petebista tocantinense.

Em sua palavra, o presidente da Juventude Trabalhista, Anderson Xavier, afirmou que a bandeira do trabalhismo ninguém mais pode levantar: “Se o senador Mozarildo não tivesse se rebelado contra seu desligamento da CCJ, talvez agora estivéssemos de joelhos”.

Anderson citou Roberto Freire, ao dizer que o PT não gosta de aliados e sim de subalternos.

E finalizou ressaltando que a juventude trabalhista está com o senador Mozarildo contra a CPMF.

Para o petebista Eduardo Cerdoura, o PTB é o povo.

Portanto, precisa ouvir o que ele quer.

“Essa contribuição veio como provisória, para uma hora de emergência, como uma ambulância.

Mas agora já não é mais assim.

Gastar é fácil, administrar é que é fogo”, ressaltou.

Agência Trabalhista de Notícias